Procurado por crime em borracharia em 2015 é preso

3967

A Polícia Militar de Rio Claro prendeu na noite de terça-feira (27) o autor de um homicídio registrado na cidade de Rio Claro no dia 23 de outubro de 2015.

Marcos Pereira da Rocha estava foragido e tem pena a cumprir de 14 anos em regime fechado pela morte de Daniel Avelino de Góes. O criminoso foi capturado por volta das 23h por policiais da Força Tática na Avenida 16, no bairro Maria Cristina. A equipe viu que o indivíduo estava em atitude suspeita, realizou a abordagem e, após consulta criminal, constatou a pendência na Justiça. Imediatamente ele foi encaminhado até a delegacia e na sequência levado à carceragem.

O crime

A vítima, na época com 38 anos, estava fazendo reparos no caminhão em uma borracharia localizada no bairro Jardim América. Segundo as informações que foram registradas no boletim de ocorrência da Polícia Militar, Marcos entrou no local e atacou Daniel Góes.

As facadas atingiram a região do tórax e o rosto do homem. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) até a unidade de Pronto-Atendimento no Cervezão, mas precisou ser transferido para a Santa Casa devido à gravidade dos ferimentos. No hospital, ele foi submetido a uma cirurgia, mas acabou não resistindo e vindo a óbito algumas horas depois.

A Polícia Civil esclareceu o crime dois dias depois, quando o autor das facadas se apresentou na delegacia com um advogado. Na época ele foi ouvido, formalmente indiciado e liberado. Posteriormente Marcos Pereira da Rocha foi julgado e condenado pelo homicídio e encontrava-se foragido até ser localizado pela Força Tática de Rio Claro.

Motivação

No depoimento, Marcos Pereira da Rocha afirmou que o crime foi cometido dias depois de a esposa revelar que estava tendo um caso com Daniel.


No dia 23 de outubro, autor do crime chegou de moto até o local, parou na esquina e foi filmado por câmeras de segurança

Em outro momento da filmagem, imagem mostra a chegada do SAMU para socorrer a vítima, que morreu pouco tempo depois

Qual sua opinião? Deixe um comentário: