Segundo informações, o não pagamento à empresa pode acarretar defasagem no número de médicos

Carine Corrêa

Segundo informações, o não pagamento à empresa pode acarretar defasagem no número de médicos
Segundo informações, o não pagamento à empresa pode acarretar defasagem no número de médicos

A Prefeitura de Rio Claro não confirmou, mas também não negou, que estaria devendo para a empresa ‘Med Aid Socorro Médico’ em torno de R$ 4 milhões. A empresa venceu a licitação em 2013 para fornecimento de mão de obra médica pela Fundação Municipal de Saúde.

Segundo informações, a empresa teria dado um prazo até esta sexta-feira (21) para o pagamento de uma parcela no valor de R$ 400 mil. O não pagamento acarretaria na suspensão dos serviços prestados pelos médicos.

Em nota, a Prefeitura justificou que a queda na arrecadação municipal acabou causando uma série de dificuldades. “A Secretaria de Economia e Finanças tem priorizado o pagamento dos servidores municipais e, infelizmente, em razão da falta de recursos financeiros, não tem conseguido honrar todos os compromissos com fornecedores. O governo municipal está tentando equacionar da melhor forma possível essa situação e tem a expectativa de que irá conseguir efetuar o pagamento ao setor de Saúde de maneira que não haja prejuízos aos serviços prestados à comunidade”, alegou via assessoria de imprensa.

Opinião de quem usa

Anderson Hartung é usuário do serviço de saúde pública de Rio Claro. Ele diz que nessa quinta-feira (20) havia apenas dois médicos na UPA 24h, sendo que a unidade tem quatro consultórios. “Já ouvi casos de pessoas que esperaram para serem atendidas durante horas”, comentou. Ellery da Silva estava com seu filho esperando para atendimento médico na mesma unidade. Denunciou que no Pronto-Atendimento (PA) do Cervezão não havia médico pediatra, por isso foi até a UPA.

Arrecadação

Administração municipal alega que queda na arrecadação vem ocorrendo em grande número de municípios brasileiros e causando uma série de dificuldades.