Adriel Arvolea

O Samu funciona 24 horas por dia com médicos, enfermeiros e socorristas que atendem urgências

De 1º de janeiro a 31 de maio de 2014, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Rio Claro recebeu 8.538 chamados. Os principais atendimentos foram os clínicos com 3.511 (57,58%); e em segundo lugar, os traumas com 1.821 (29,84%). Os demais são relativos à psiquiatria, pediatria e ginecologia, segundo levantamento da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Mas deste total é significativo o percentual de solicitações que não tinham necessidade de serem feitas ao Samu. Cólica menstrual, dor de cabeça, dor no corpo e briga de família são alguns exemplos sem características para atendimento do serviço. “No período pesquisado, foram orientados 1.420 chamados que não eram de atendimento para o Samu”, comenta a FMS.

Talvez, a questão seja: ‘em qual situação o Samu deve ser acionado?’. Em situações de urgência e emergência com casos de intoxicação, trauma ou queimadura; na ocorrência de problemas cardiorrespiratórios (infartos); nos casos de acidentes de trânsito, quando houver vítimas; em trabalho de parto; em caso de choque elétrico, esfaqueamentos, pessoas baleadas, quedas com trauma de crânio; e em casos de acidentes com produtos perigosos. “A população é informada por intermédio de material fornecido nas unidades de saúde e palestras realizadas por seus integrantes. A divulgação do serviço é de extrema importância e, por este motivo, contamos com o apoio de todos”, reforça a Fundação.

Dessa forma, o Samu funciona 24 horas por dia com médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas que atendem urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental da população. O socorro oferecido pelo Samu é feito depois de chamada gratuita para o telefone 192 e tem como principal característica a rapidez do atendimento, desde o início com acompanhamento médico.

A sede regional do Samu foi construída na Avenida Brasil, perto do Corpo de Bombeiros, no bairro Vila Martins. A obra custou pouco mais de R$ 650 mil, sendo que R$ 100 mil vieram do Governo Federal e o restante é investimento do próprio município. O Ministério da Saúde, também, destinou R$ 112 mil para a compra de mobiliários e equipamentos de tecnologia da informática. As atividades foram iniciadas em julho de 2011. Os serviços envolvem, ainda, os municípios de Analândia, Corumbataí, Ipeúna, Itirapina e Santa Gertrudes.

Samu

O Samu é um programa que tem como finalidade prestar o socorro à população em casos de emergência. Com o Samu/192, o governo federal está reduzindo o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as sequelas decorrentes da falta de socorro precoce. Presta atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. O socorro é feito após chamada gratuita, feita para o telefone 192. A ligação é atendida por técnicos na Central de Regulação que identificam a emergência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente, ou a pessoa que fez a chamada, sobre as primeiras ações.

Ao mesmo tempo, o médico regulador avalia qual o melhor procedimento para o paciente: orienta a pessoa a procurar um posto de saúde mais próximo; designa uma ambulância de suporte básico de vida, com auxiliar de enfermagem e socorrista para o atendimento no local; ou, de acordo com a gravidade do caso, envia uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) móvel, com médico e enfermeiro.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Professora é assaltada em Rio Claro por ex-aluno