Nessa quinta (4), jurados decidiram condenar um homem que praticou assassinato em 2011 no Bonsucesso

Carine Corrêa

Os jurados que compuseram o tribunal dessa terça-feira (12) no Fórum de Rio Claro decidiram pela condenação de Michel Epifânio Marcucci a 12 anos de prisão. A advogada de defesa, Daiana Carneiro, afirmou que vai entrar com recurso, mesmo com a decisão do júri.

“Consegui excluir a qualificadora do motivo fútil, mas manteve-se a por meio que impossibilitou a defesa da vítima”, disse à reportagem do JC.

Michel Marcucci foi condenado pelo crime de homicídio que cometeu em 2013, no Distrito de Ajapi. Ele matou o jovem Jhonatan Caíque Marques, de apenas 18 anos. Durante o julgamento, Michel justificou que matou porque desconfiava que sua ex-namorada o traía.

Além disso, estava em dúvida sobre a gravidez da ex-companheira e não estava certo de que o filho era seu. Atualmente, uma terceira pessoa teria assumido a paternidade.

Michel matou Jhonatan, segundo denúncia apresentada ao Ministério Público, com um revólver calibre 32, acertando na vítima um tiro no tórax enquanto ela brincava de taco na rua.