Em jogo equilibrado, Rio Claro FC e Santos ficam no 0 a 0

99

Matheus Pezzotti

Com mudanças no time, Galo Azul apresenta melhora em tentativa de evitar o rebaixamento, mas segue no Z-6 e soma quatro jogos sem marcar gols
Com mudanças no time, Galo Azul apresenta melhora em tentativa de evitar o rebaixamento, mas segue no Z-6 e está há quatro jogos sem marcar gols

No único jogo em que o Rio Claro FC recebeu no Schmidtão um dos grandes do Paulistão, na noite deste domingo (20), pela 10ª rodada, ficou no empate em 0 a 0 com o Santos.

Com 9 pontos, o Rio Claro FC, que há quatro jogos não marca gol e não vence, com dois empates e duas derrotas, subiu uma posição em sua chave, ficando em quarto lugar no Grupo D e também na classificação geral, mas segue na zona do rebaixamento, agora em 18º lugar. E o Santos, com 22 pontos é o líder do Grupo A e segundo na classificação geral.

O Galo Azul volta a jogar na próxima quarta-feira (23), às 19h30, contra o Ituano, fora de casa, pela 11ª rodada.

O JOGO
Com o zagueiro e capitão Alex Silva com labirintite, o volante Jean Patrick, com lesão na panturrilha e o lateral-esquerdo Felipe Saturnino, com febre e gripe, Sérgio Guedes, que havia anunciado que mudaria o time visando ter mais consistência, colocou um Rio Claro FC modificado em campo.

Com três volantes, apertou a marcação e Léo Costa tinha mais liberdade na criação. Mas o Santos ficava mais com a bola, em progressão, mas com Alison improvisado na esquerda, o Galo Azul explorava o setor e não se preocupava apenas em marcar, também subindo ao ataque.

A mudança no time surtiu efeito e o Rio Claro FC estava mais consistente em campo, bem postado no meio de campo e a bola pouco chegava ao bem marcado Ricardo Oliveira.

Aos 10 minutos, cruzamento da esquerda, Elsinho ajeitou de cabeça para Lucas Xavier, que bateu fraco para defesa tranquila de Vanderlei. O Santos respondeu aos 21, em jogada ensaiada, Gabriel recebeu livre na entrada da área, mas bateu por cima. Aos 35, em contra-ataque, Gabriel recebeu lançamento, avançou na entrada da área, cortou o zagueiro, mas bateu por cima novamente.

Em disputa de cabeça com João Gabriel aos 39 minutos, Serginho, com corte no supercílio, precisou ser substituído por Paulinho. Aos 41, Elsinho recebeu da intermediária, mas bateu para fora. O Santos ainda teve grande chance aos 46. Cruzamento da esquerda que desviou na zaga e sobrou para Paulinho, na área, que bateu para fora.

No começo do segundo tempo, o Galo Azul voltou melhor, com cruzamentos na área do Santos, mas o jogo seguiu centrado no meio de campo, com as defesas não dando espaço e ambos os times não finalizavam.

Aos 18, Rodrigo Celeste recebeu, cortou dois do Santos, entrou na área, mas bateu mal, para fora, perdendo a melhor chance do Azulão até o momento. O Peixe respondeu na mesma moeda. Cinco minutos depois, Paulinho fez fila, foi na linha de fundo e cruzou para o até então apagado Lucas Lima, que bateu prensado para fora.

O lance animou o Santos, que fez uma blitz e três minutos depois, Ricardo Oliveira também teve sua chance clara de balançar as redes. O camisa 9 bateu falta frontal que Lucas Frigeri mandou para escanteio. Aos 28 minutos, Lucas Lima recebeu, passou pela marcação e, da linha de fundo, cruzou rasteiro na pequena área, levando muito perigo. E dois minutos depois, o camisa 20 do Santos passou pela marcação lançou Neto Berola entre a zaga rioclarista e sozinho, dominou e bateu no canto, mas Lucas Frigeri saltou e fez grande defesa, evitando o gol santista.

Com o Santos buscando o gol, o Galo Azul se fechou, buscando contra-ataques e aos 46, Índio recebeu na direita, cortou o zagueiro e bateu forte no alto, mas Vanderlei voou para mandar para escanteio e por pouco não marcou o único gol do jogo.

Ao final, o volante Renato falou sobre a marcação do Rio Claro FC no jogo. “Eles jogaram no contra-ataque. Tivemos chances, mas não matamos e o Rio Claro marcou bem e dificultou as coisas para nós”, disse durante a transmissão da rádio Excelsior Jovem Pan News, 1410 kHz.

FICHA TÉCNICA
RIO CLARO FC 0 X 0 SANTOS
Local: estádio Dr. Augusto Schmidt Filho, em Rio Claro
Campeonato: Paulistão, 10ª rodada
Público: 2.326 total
Renda: R$ 106.450,00
Árbitro: Rafael Felix da Silva
Assistentes: Danilo Simon Manis e Ricardo Lanutto
Cartões amarelos: Léo Coelho, Rodrigo Celeste e João Paulo (Rio Claro FC) e Thiago Maia (Santos)

RIO CLARO FC
Lucas Frigeri; Luís Felipe, Léo Coelho, João Gabriel e Thiago Cristian (Odair Lucas); Maurício, Elsinho, Rodrigo Celeste e Léo Costa; Lucas Xavier (Índio) e João Paulo (Romarinho). Técnico: Sérgio Guedes

SANTOS
Vanderlei; Alison (Caju), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima, Serginho (Paulinho) e Gabriel (Neto Berola); Ricardo Oliveira. Dorival Júnior

1 COMENTÁRIO

  1. Sem demagogia, gostaria muito que o Rio Claro caísse para a A2 e só voltasse depois que tivesse uma estrutura digna de uma série A1. Estou cansado de ouvir a impressão dos grandes times que aqui vem jogar, reclamarem da iluminação, dos vestiários, do gramado, e, até mesmo do banco de reserva, um cimentadao digno da várzea.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: