Equipe do curta-metragem “Command Action” esteve na estreia mundial do filme na Semana da Crítica, do Festival de Cannes, na França

Lourenço Favari

Equipe do curta-metragem “Command Action” esteve na estreia mundial do filme na Semana da Crítica, do Festival de Cannes, na França
Equipe do curta-metragem “Command Action” esteve na estreia mundial do filme na Semana da Crítica, do Festival de Cannes, na França

O cineasta João Paulo Miranda Maria falou com exclusividade à equipe do Jornal Cidade sobre a estreia mundial do curta-metragem “Command Action”, produzido na feira do bairro Cervezão, em Rio Claro.

Mesmo sem ter vencido a competição da Semana da Crítica do 68º Festival de Cannes, o diretor anuncia os frutos de ter sido selecionado entre os 10 filmes do mundo inteiro que concorreram aos prêmios. “Com certeza um novo mundo se abriu e posso te dizer com certeza que é um momento ‘divisor de águas’ onde antes eu era uma coisa e agora sou algo completamente diferente”, relata.

Entre exibições, encontros com produtores estrangeiros e outros órgãos internacionais, ele descreveu: “Ainda continuo com os mesmos ideais e querendo me aprofundar esteticamente, mas para todo o cenário mundial, onde fui apresentado, chamei a atenção de todo o mercado do cinema. Todos querem muito saber meus próximos passos e qual será meu próximo projeto”.

Ele diz ainda que toda a movimentação em sua participação ainda não acabou. Há muito trabalho pela frente. “Ainda tenho várias reuniões com distribuidores, produtores internacionais e até um encontro com os selecionados e a cúpula de jurados de todo o Festival de Cannes”, frisa,

DISTRIBUIÇÃO

João Paulo, que permanece em Cannes até o final do festival no domingo (24), enfatizou que já fechou acordo com uma importante distribuidora francesa de filmes. “Fechei com uma importante distribuidora francesa, responsável pela distribuição de filmes renomados e de até selecionados para o Oscar.”

PRODUÇÃO

Durante o evento, o cineasta conseguiu se articular com interessados para desenvolver um longa-metragem. “Fechei uma agenda até o final do ano para desenvolver meu primeiro longa-metragem, apoiado por uma forte produtora da Holanda, para realizar este projeto na Europa em regime de coprodução envolvendo outros países, como a França e Portugal. Neste projeto, filmarei na Europa”, comemora.

NEXT STEP

Mesmo sem ter levado os prêmios da competição, o diretor deve participar do programa Next Step, criado em colaboração com o Torino Film Lab. O objetivo do projeto é apoiar os selecionados da Semana da Crítica a realizarem um longa-metragem. “O que a mostra da semana da crítica mais enfatiza é o prêmio Next Step, onde voltarei à França, desta vez em Paris, para passar por uma residência artística, onde estarei desenvolvendo o projeto do meu primeiro longa, em um espaço onde os cineastas da Nouvelle Vague também se reuniam na época para escrever seus roteiros”, completa.

VENCEDORES

Os vencedores da Semana da Crítica foram “La Patota”, de Santiago Mitre (Grande Prêmio Nespresso), “La Tierra y la Sombra”, de César Augusto Acevedo (Prêmio SACD e Prêmio Visionário France 4), “The Wakhan Front”, de Clément Cogitore (Garantia de Distribuição da Fundação Gan), “Varicella”, de Fulvio Risuleo (Prêmio Descoberta para Curta-Metragem) e “Ramona”, de Andrei Cretulescu (Prêmio Canal+ para Curta-Metragem).

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Pharoah Sanders, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 81 anos

Cresce número de crianças registradas por mães solo

JC nas Eleições debate dificuldade para Rio Claro eleger deputados