Eleitores elegem “Saúde” como setor prioritário

91

Antonio Archangelo

limite jc saúde

Se seguirem a vontade do eleitor rio-clarense, os candidatos a prefeito deverão perder algumas horas para se debruçar sobre a saúde pública do município.

De acordo com a Pesquisa Limite/JC, realizada entre os dias 16 e 19 de agosto, questionados: destas áreas, qual você acha que precisa de mais atenção na cidade de Rio Claro: 55,7% dos entrevistados citaram a Saúde. Índice chega a 67,2% entre os eleitores da região que vai do Floridiana, Cervezão até bairros próximos ao Jardim Wenzel.

SAÚDE

A área que atende a população pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é atualmente gerenciada pela Fundação Municipal de Saúde, cujo presidente determina a gestão dos recursos com fiscalização realizada pelo Conselho Municipal de Saúde. A saúde pública foi alvo de várias ações propostas pelo Ministério Público, como também instaurou inquéritos.

SEGURANÇA

A Segurança Pública foi citada por 13,2% dos eleitores, atingindo pico de 26,5% entre entrevistados com renda familiar igual ou superior a cinco salários mínimos. Entre os índices criminais da cidade, o que chama a tenção é o aumento dos assassinatos. Dados da Segurança Pública, no primeiro de semestre de 2015, foram registrados 6 assassinatos em Rio Claro, neste ano esse número subiu para 13, o que representa um aumento de 116%. De acordo com as autoridades policiais, casos estão ligados a ‘acertos de contas’ e crimes passionais. Desse número, de seis a sete casos esclarecidos com autoria definida e estão relacionados com problemas com drogas e crime passional.

EMPREGO

Para 12,5% dos entrevistados, a área que necessita de mais atenção em Rio Claro é a geração de empregos. Índice que sobe para 17,5% entre entrevistados com ensino fundamental completo. Assim como em todo país, a recessão econômica do país tem resultado em demissões em Rio Claro.

No mês passado, o nível de emprego industrial na Diretoria Regional do CIESP em Rio Claro (região composta por sete municípios) apresentou resultado negativo no mês de junho. “Uma queda de aproximadamente 850 postos de trabalho”.

OUTROS

A educação aparece como área prioritária para 10,9%; a Habitação para 2,3%; Limpeza Pública para 1,8%; Ações de Cultura e Lazer com 1,2%; Saneamento Básico e Poluição com 0,9% cada; Coleta de Lixo aparece como área prioritária para 0,2% dos entrevistados.

LIMITE/JC

A pesquisa contratada pelo Jornal Cidade foi realizada pela Limite Consultoria e Pesquisas de Marketing Ltda, que ouviu 708 entrevistados entre os dias 16 e 19 de agosto de 2016 e tem um intervalo de confiança no levantamento de 95%. O estatístico responsável é Dênis Araújo dos Santos, sendo a pesquisa registrada na Justiça Eleitoral sob o número SP 00819/2016.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: