Jaime Leitão

Há um grande número de búfalos em fazendas na Ilha do Marajó, mas não imaginava que na área rural de Brotas havia mais de 700 búfalos passando fome e sede, sem ninguém para cuidar deles, alimentá-los e supri-los com água.

Pelo menos 22 búfalos foram encontrados mortos em uma vala e os outros padeciam de maus-tratos, o que é uma crueldade.

O fazendeiro que teria deixado os búfalos nessa condição tão precária foi multado em R$ 2,1 milhões. Mudando de foco, eu me volto para os flamingos. A primeira vez que avistei flamingos foi no Zoológico de  Madri, há mais de vinte anos. Que beleza viva, que elegância.

Você pode me perguntar: – qual a relação entre búfalos e flamingos?

Fiquei estarrecido com o massacre sofrido por mais de 170 flamingos, aves maravilhosas, que viviam no Parque Iguaçu no Paraná. Uma onça saiu em busca de caça para ensinar sua filha oncinha a caçar. Foi um ataque feroz, que causou a morte de 174 flamingos. Muitos morreram pelo ataque direto, outros pelo estresse causado pela situação.

Apesar do porte relativamente grande, são aves delicadas que não resistiram à aproximação avassaladora das onças.

A culpa não é da onça, mas da negligência de quem cuidava do Parque. Por mais apreço que tivessem pelos flamingos, nunca poderiam deixar no parque uma abertura, um atalho para que uma onça pudesse pôr em prática a sua ferocidade. É da natureza da onça ser feroz, mas não pode ser da natureza humana minimizar a força desse animal e da capacidade que ele tem de atacar suas presas com energia em grau máximo.

Eu já sabia que um gato, ao se aproximar de uma gaiola com um canário, provoca a morte dele mesmo antes de feri-lo, em razão do estresse, mas flamingos eu nunca poderia imaginar que duas onças, uma adulta e um filhote, poderiam causar tamanho estrago.

Os responsáveis pelo parque afirmaram que as onças não atacam humanos, já que há muitos turistas visitando o lugar. Será mesmo? Não dá para acreditar.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.