Em entrevista à rádio Jovem Pan News de Rio Claro, o vice-presidente do Sindicato dos Ferroviários, Ariovaldo Baptista Bonini, comenta sobre a polêmica dos apitos dos trens à noite no município. Conforme explica, a frenagem de uma locomotiva não é imediata como a de um carro e requer antecedência, por isso, numa situação de risco, é necessário acionar o apito. O sistema sonoro, também, é utilizado para a comunicação do maquinista com o manobrador e a intensidade da buzina (decibéis) é regulada pela ABNT. Outro alvo de reclamações é a passagem de nível nos horários de pico no Centro da cidade.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Saiba como denunciar assédio sexual sofrido no trabalho

Rio Claro vacina contra a Covid a partir das 7h30