O avanço dos casos de Covid-19 em vários países e suas consequências relacionadas à falta de leitos e equipamentos, inexistência de vacinas ou medicamentos, além das consequências econômicas, levam pesquisadores a relembrar que há 100 anos, mais exatamente no período de 1918 a 1920, o mundo enfrentava uma outra grande crise causada por uma doença, no caso a gripe denominada de espanhola.

A comparação é inevitável diante da semelhança em alguns aspectos, como mostram na página à esquerda algumas edições do jornal O Alpha, que circulava em Rio Claro mostrando as notícias sobre as mortes e as dificuldades trazidas pelas gripe espanhola. As antigas edições deste jornal estão no acervo do Arquivo do Município. Algumas foram publicadas pela autarquia em sua página no Facebook (Arquivo Público e Histórico de Rio Claro).

Para a historiadora e coordenadora do arquivo Talita Gouvêa Basso, a afirmação de que a história se repete é questionável. “É sabido que a História não se repete, o contexto do ano de 1918 é singular e passado. Mas como documentos de arquivo nunca ficam ‘velhos’, é preciso consultá-los para (re)conhecer o nosso tempo. A pesquisa histórica permite estabelecer relações entre 1918/1920 e 2020, nas sempre embasadas no trabalho científico que deve respeitar diferenças de tempo e de espaço”, pondera a historiadora.

Falando, então, em semelhanças, é possível encontrar nos recortes das notícias referentes ao período 1918/1920 as dificuldades do setor de saúde para atender os pacientes, o crescimento do número de mortes (e até mesmo a dificuldade em dar conta dos sepultamentos), os prejuízos econômicos e até mesmo as divergências políticas em plena pandemia.

Segundo artigo publicado no site da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, “a pandemia ocorrida em 1918 e 1919, conhecida como ‘Influenza Hespanhola’, tem sido considerada uma das mais devastadoras e letais da história. Esta enfermidade alastrou-se por todas as regiões do planeta e deixou o maior número de infectados e mortos, se comparada com as pandemias ocorridas até então. Ela teria vitimado 20 milhões de pessoas em todo o mundo (mas alguns estudiosos falam em 50 milhões de mortos). A denominação dada ao surto de 1918 vem do fato de que na Espanha não eram segredo os estragos feitos pela gripe. As notícias sobre a pandemia eram publicadas livremente pelos jornais, o que dava a impressão de que lá havia muito mais doentes do que em outras regiões”.

A superintendente Mônica Frandi Ferreira destaca que, nesse período de quarentena, em que o Arquivo não pode atender o público de forma presencial, o número de consultas acabou sofrendo um aumento através das consultas digitais. “Enquanto que a média de consultas girava em torno de 126 documentos por mês, apenas em abril foram consultados 279 documentos em 44 atendimentos via e-mail (contra os 24 atendimentos remotos e 10 presenciais, no mês de março); número atingido satisfatoriamente, porque aliado ao trabalho de organização, pudemos disponibilizar a versão eletrônica das informações”.

Arquivo tem edições históricas dos jornais

Nos últimos três anos, foram registradas 1.033 consultas aos jornais e periódicos

“O Alpha” foi um jornal de caráter noticioso e literário, que teve a sua primeira edição publicada em 06 de janeiro de 1878, sob a responsabilidade do Sr. Augusto Cintra. No período de maior circulação, que compreende os anos de 1901 a 1927, o jornal “O Alpha” manteve os seus assinantes bem informados dos assuntos nacionais e internacionais. Nesse sentido, os redatores garantiram amplo destaque para a gripe espanhola, doença que assolou o mundo entre 1918 e 1920,

As edições do extinto jornal integram o acervo do Arquivo Público e Histórico do Município de Rio Claro.

A superintendente do Arquivo, Mônica Frandi Ferreira, fala sobre a preservação da coleção de jornais, “que entre 2001 e 2004, o Arquivo de Rio Claro em parceria com o Arquivo do Estado de São Paulo e o Centro David Rockfeller da Universidade de Harward, nos Estados Unidos da América, desenvolveu projeto que resultou na microfilmagem/digitalização de 47 títulos dos periódicos que compõem a hemeroteca rio-clarense, incluindo o jornal ‘O Alpha’. O trabalho de conservação desses documentos é cotidiano e permanente”. O Arquivo está instalado no Núcleo Administrativo Municipal – NAM, na Rua 6, no Santana.

Veja abaixo algumas edições do “O Alpha” de 1918 e do Jornal Cidade de 2020 e compare as informações:

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Veículo capota e deixa duas vítimas leves em Rio Claro

Cresce o número de brasileiros interessados em deixar o país

Vídeo mostra poeira em estrada rural da região