A Câmara Municipal derrubou na noite dessa segunda-feira (8) o projeto de lei de autoria do prefeito Gustavo Perissinotto (PSD) que pretendia aumentar o desconto da alíquota previdenciária na folha de pagamento do servidor público. É a primeira derrota da atual gestão dentro do Poder Legislativo e que contou até mesmo com votos contrários da própria base governista.

O projeto era uma solicitação do Instituto de Previdência de Rio Claro (IPRC), responsável pela aposentadoria do funcionalismo municipal, de forma a adequar o regime às novas regras impostas pela Emenda Constitucional nº 103/2019, instituída no Governo Bolsonaro. O recolhimento dentro do salário por parte dos servidores subiria de 11% para 14%, enquanto a parte patronal de 14,22% para 14,5%.

A votação contrária ao projeto foi puxada pelo vereador Rafael Andreeta (sem partido), tendo como apoio os demais vereadores. Paulo Guedes (PSDB) tentou alertar quanto ao problema que pode incorrer com a derrubada da proposta e o comprometimento quanto ao pagamento das aposentadorias dos funcionários públicos, mas foi em vão. Ambos chegaram a bater boca no plenário. No total foram 13 votos contrários, apenas Paulo, Irander Augusto (Republicanos), Julio Lopes (PP) e Vagner Baungartner (PSDB) votaram a favor.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Política: