Idoso ao tomar a vacina contra a gripe em unidade de saúde (Foto: SESA/Fotos Públicas)

Da Redação

Idoso ao tomar a vacina contra a gripe em unidade de saúde (Foto: SESA/Fotos Públicas)
Idoso ao tomar a vacina contra a gripe em unidade de saúde (Foto: SESA/Fotos Públicas)

As unidades de saúde de Rio Claro realizam a vacinação contra a gripe até sexta-feira (5), segundo informações divulgadas pela Vigilância Epidemiológica nessa terça-feira (2). O encerramento da campanha no município estava marcado para esta quarta-feira (3), seguindo calendário estadual. Agora, a vacinação foi estendida por mais um dia, seguindo o calendário nacional. O atendimento continuará sendo feito nas unidades de saúde das 8 às 16 horas.

A meta da campanha é vacinar 80% da população-alvo, que inclui crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, mulheres que acabaram de ter filhos (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, idosos e os portadores de doenças crônicas. Os números mais recentes divulgados pela Vigilância Epidemiológica indicam que 49,16% da população-alvo recebeu a vacina.

Publicidade

“Estudos realizados com milhares de pessoas mostram que a vacina é eficaz e segura. Apesar da vacina não conseguir uma proteção total, ela evita os casos mais graves e as complicações decorrentes da doença, como a pneumonia, reduzindo 70% da hospitalização de idosos por esta causa. Nas gestantes a vacina também apresenta ótimos resultados. Quando a gestante recebe a vacina, os seus bebês têm uma redução de 63% em doença respiratória aguda pelo vírus da influenza, do nascimento até os seis meses de idade”, afirma a VE.

0306-0701

A campanha foi estendida porque o país não conseguiu atingir a meta de vacinar 80% do público-alvo. A vacinação ainda tem chance de ser novamente prorrogada. De acordo com a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, no dia 5 a pasta irá avaliar os dados da campanha e as coberturas vacinais atingidas.

“A proposta é que todos os municípios atinjam a cobertura preconizada pelo Ministério da Saúde. Se chegar nessa data e algum município não tiver atingido, cabe a esse município definir a prorrogação da sua campanha para identificar exatamente quais são os grupos que não atingiram a meta e continuar vacinando”, explica Carla.

De acordo com ela, “é importante que a população não deixe de ser vacinada perto do dia 5 de junho, porque a vacina demora pelo menos 15 dias para criar anticorpos e a pessoa estar devidamente protegida. Então, quanto mais cedo se vacinar, mais cedo ela estará protegida”.

Carla ressalta ainda que a vacina é feita com vírus mortos, vírus inativados. “Então, esse mito de que a pessoa toma a vacina e pega gripe, isso não procede. A vacina não transmite o vírus da gripe. É uma vacina muito segura, cujos efeitos adversos são muito pequenos”, conclui. A definição dos grupos prioritários segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). São priorizados os grupos mais suscetíveis à doença.

Mais em Notícias:

Previsão do tempo deste final de semana