O empresário Elder Salve, apaixonado por conversíveis, viu um meio de curtir e ganhar dinheiro comprando carros antigos.

Tudo começou na pandemia quando o empresário Elder Salve teve uma vontade imensa de ter carro conversível, sua paixão da adolescência, mas que, por questões financeiras, nunca pôde comprar.

Sem poder trabalhar e com tempo ocioso, começou a pesquisar sobre os conversíveis e acabou achando em Itirapina um Escort 90, trouxe o carro para Rio Claro, mas não demorou a vender para um comprador na Bahia.

“No primeiro instante eu curti o carro, achei excepcional, mas eu achei uma maneira de ganhar um pouco de dinheiro transformando-os nos mais originais possíveis, curtindo o carro e depois vendendo”, comenta Elder.

Hoje para vendas, o empresário tem um Escort XR3 2.0 e um Kadet GSI 2.0, ambos de 1994 e conversíveis, além de um Tempra Turbo Estile de fábrica, em manutenção, em breve disponível para venda.

blank

Elder explica que o Kadet quando comprou estava fora dos padrões de originalidade, teve muitos desafios para poder encontrar peças e torná-lo mais bonito e original possível.

“Ele veio com banco em tecido courvin, precisei pesquisar muito na internet porque não se acha mais o tecido original novo para venda, vindo do fabricante. Tinha pouco dessa fase, dois do Kadet, então tive que ir pegando tecido de várias empresas para conseguir a quantidade que precisava para voltar ao padrão de originalidade dele”.

Para deixar o modelo mais original ainda, Elder precisou comprar rodas em outra cidade e fazer a capota com Wiliam Straus, um profissional que veio de São Paulo. Para o empresário, o modelo o atrai pelo conforto que oferece e sua robustez, também chama sua atenção o tecido que a linha Chevrolet usa em seus carros.

blank
blank
blank
blank

O Escort ele foi buscar na região de Minas Gerais, diz que o antigo proprietário, Tiago, ficou com o carro por 12 anos e o grau de originalidade do carro é bem grande. “Me atraiu muito essa questão porque os faróis são originais, o rádio equalizador é original, as travas da capota, então são detalhes que enriquecem o carro”.

A capota do Escort também foi trabalhada por Straus, faltava ainda mexer na estética e tapeçaria, mas até a publicação desta matéria Elder conseguiu concluir o serviço, colocando os tecidos originais nas portas e bancos.

blank
blank
blank
blank

“O carro que eu pretendo ter ainda na verdade eu já tive e quero voltar a ter, é um Peugeot 307 Cabriolet. Ele é um carro fantástico, maravilhoso, com uma capota rígida que, quando se olha ele fechado, é um carro normal, mas ele aberto vira um conversível maravilhoso”, comenta animadíssimo o apaixonado por conversíveis.

Ao perceber a grande procura nesse nicho de mercado, Elder investiu, primeiro porque gosta de conversíveis e, depois, porque notou que com a pandemia a nostalgia voltou com tudo. “No meu ponto de vista, essas pessoas que procuram esses carros são pessoas que já têm um bem financeiro bacana, tem um carro para andar, então busca um outro carro para diversão de final de semana”.

Pergunto qual dos dois modelos ele prefere, Kadet ou Escort, entre risos me responde: “E agora? Posso ficar com os dois? É paixão”.

Elder reforça que gosta do Kadet por causa do conforto, maciez do tecido e o grau de robustez, mas o ar esportivo do Escort chama muito sua atenção: “acho que por ele ser um pouquinho mais baixinho, ter um farolzinho mais bicudinho, eu acredito que ele dá um ar de mais esportividade”.