Bombeiros em 12 de janeiro de 2021, quando procuravam restos mortais da vítima em fogueira ao lado de barraco (Foto: Jornal Cidade)

A Polícia Civil de Rio Claro, através da Central de Polícia Judiciária, prendeu na tarde desta quarta-feira (12), uma das pessoas envolvidas em um homicídio que foi registrado em janeiro do ano passado.

Na ocasião, dia 12 de janeiro, uma denúncia levou policiais da Força Tática de Rio Claro até uma área verde no bairro Wenzel, onde existe um barraco que é frequentado por usuários de drogas. A informação era de que no local, conhecido como “Barraco da Paloma”, indivíduos estavam queimando um corpo após terem cometido homicídio.

Quando os PMs chegaram se depararam com três suspeitos ao lado de uma fogueira. Um deles confessou que cinco dias antes mataram um indivíduo de nome “Lemão” e para sumir com qualquer prova decidiram queimar o corpo, sendo que restos mortais da vítima foram encontrados na fogueira onde o grupo estava ao lado. Todos foram levados para a delegacia, mas as investigações prosseguiram e constataram o envolvimento de mais um indivíduo, uma travesti de 40 anos, que ontem foi encontrada, informada do mandado de prisão preventiva e capturada pelo delegado de plantão juntamente com a equipe do CPJ e com o apoio da DISE.

Posteriormente, através de exame de DNA, foi constatado que a vítima tratava-se de José Santoro Neto, de 46 anos, que estava desaparecido desde o dia 3 de janeiro. Morador do bairro Vila Aparecida, ele havia saído da residência onde mora após ter uma discussão com a companheira e não foi mais visto. Abaixo a foto da vítima fatal (José Santoro Neto).

José Santoro Neto, 46 anos, vítima fatal. Ele era morador da Vila Aparecida e foi espancado, morto e queimado no bairro Wenzel

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

ARTESP recomenda aos motoristas medidas de atenção às chuvas

Rio Claro vai implantar a Casa da Mulher