População deve denunciar violência contra deficiente

174

Da Redação

A violência contra as pessoas com deficiência será discutida na 6ª edição da Caravana da Inclusão e no Encontro Regional sobre Violência contra Pessoa com Deficiência, que acontecem em Brotas nesta sexta-feira (17). O evento será realizado no Cine São José, que fica na Avenida Rodolfo Guimarães, 634, Centro. O objetivo é fomentar o debate sobre o tema e divulgar dados da violência contra esse público na região e as ações que vêm sendo desenvolvidas para coibi-la.

O presidente da Apoderc (Associação dos Portadores de Deficiência de Rio Claro), Marco Antonio Elias, comenta que a violência ocorre, mas geralmente dentro de casa, e os registros de casos são raros.

Casos de violência contra pessoas com deficiência devem ser denunciados para punir os agressores (foto Agência Brasil)
Casos de violência contra pessoas com deficiência devem ser denunciados para punir os agressores (foto Agência Brasil)

O Estado de São Paulo criou a Delegacia da Pessoa com Deficiência, que atualmente acompanha 8.600 casos registrados. Implantada em 2014, a delegacia atende casos de discriminação e outros crimes (maus-tratos, negligência, agressão) em que a deficiência se caracterize como agravante, tornando a vítima mais vulnerável. Somente no segundo semestre do ano passado, a polícia paulista registrou mais de 14 mil boletins de ocorrência de crimes contra pessoas com deficiência.

Rio Claro tem entidades que atuam na defesa e proteção dos deficientes. No início deste ano, a prefeitura criou o Centro Dia de Referência para Pessoas com Deficiência (antigo CMAC), que atende homens e mulheres a partir dos 18 anos em situação de vulnerabilidade ou risco social e também suas famílias.

Em maio, o município realizou a Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que aprovou 56 propostas que serão apresentadas na conferência estadual. Casos de violência podem ser denunciados pelo telefone (11) 3311-3380, e-mail violenciaedeficiencia@sedpcd.sp.gov.br, Disque-Denúncia estadual (181) e Disque 100, Cras, Creas e delegacias de polícia.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: