Folhapress

O cabo da Polícia Militar Jonas Barreto Santos foi preso suspeito de matar o sargento Sandro da Rocha Mariano, na noite desta terça (15), com um tiro no peito, no bairro Irajá, zona norte do Rio de Janeiro. Câmeras filmaram a ação. Nas imagens, segundo a polícia, Santos se aproxima, fala algo na direção de Mariano, e realiza o disparo.

De acordo com informações de agentes da Delegacia de Homicídios da Capital, que investiga o caso, Santos não apresentou advogado e também não havia se manifestado até a manhã desta quarta (16). Ele foi levado para o batalhão prisional da Polícia Militar.

O crime ocorreu dentro de um bar no condomínio em que a vítima morava, onde moradores e convidados confraternizavam no feriado da Proclamação da República. A vítima estava em uma mesa onde estava também seu filho, de três anos.

De acordo com o depoimento de uma mulher que também estava sentada à mesa, Santos se aproximou e perguntou: “Você se lembra de mim?”. Em seguida, sacou a arma e fez o disparo. A testemunha saiu correndo, com a criança, assim como outros frequentadores do bar.

As imagens mostram ainda que, mesmo após o disparo, Santos tenta sufocar Mariano, que fica desacordado. O atirador permanece no bar, enquanto o socorro é chamado. O policial morreu no local.
Segundo depoimento da viúva à polícia, a vítima e o cabo tiveram uma discussão há cerca de três anos, quando Mariano teria afastado com um chute o cachorro da família de Santos. Ambos se xingaram, na ocasião, e desde então nunca mais se falaram, ainda de acordo com a viúva.

O corpo do sargento, que atuava no 41º BPM (Irajá), foi levado para o IML (Instituto Médico Legal). Não há informações sobre o enterro.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Morre, aos 60 anos, o GCM Geraldo que lutava contra um câncer

Concluída 1ª etapa da obra na rotatória da Avenida 32