Manutenção emergencial em adutora pode comprometer abastecimento de água

3834

O Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) de Rio Claro informa que está fazendo, desde o início da noite dessa quarta-feira (29), uma manutenção emergencial na adutora de 500 milímetros que faz a captação de água bruta do Ribeirão Claro para a Estação de Tratamento de Água (ETA 1), localizada no bairro Cidade Nova.

A adutora rompeu na Avenida Nossa Senhora da Saúde, adjacente com a Avenida 3A, e para realizar o serviço, a autarquia precisou interromper o trânsito. A orientação é para que o munícipe redobre a atenção e os cuidados e evite transitar nas proximidades, procurando rotas alternativas para diminuir riscos de eventuais acidentes.

Por ser uma adutora de grande vazão, a autarquia precisou interromper temporariamente a captação e o tratamento de água da ETA 1, por isso, pede para que a população faça o uso racional da água no período da noite.

Apesar dos esforços, deve ocorrer baixa pressão ou interrupção temporária no fornecimento de água nos bairros Bela Vista, Cidade Nova, Vila Alemã, Santa Cruz, Santana, Centro, Cidade Jardim, Saúde, Copacabana, Bairro do Estádio, Jd. Novo 1 e 2, Jd. Inocoop, Jd. Mirassol, Jd. Anhanguera, Jd. Kennedy, Jd. Donângela, Jd. Conduta, Jd. do Trevo, Jd. Nova Veneza, Cidade Claret, Vila do Rádio, Vila Operária, Vila Paulista, Vila Santo Antonio, Vila Indaiá, Vila Aparecida, Vila do Horto, Consolação, Parque Flórida, São Benedito, Itapuã, bairro Olímpico e Porto Fino.

No retorno do abastecimento, deve ocorrer casos pontuais de cor escura na água nos bairros abastecidos pela ETA 1. Os usuários devem relatar esses casos através da Central de Atendimento, no telefone 0800-505-5200, onde também pode ser feita a solicitação de descarga de cavalete e teste de qualidade da água em imóvel por meio de agendamento.

O Daae reforça a importância de os moradores terem caixa d’água em seus imóveis, essenciais para reduzir transtornos em caso de interrupção no fornecimento. Além disso, sua instalação é obrigatória, conforme estabelece o Código Sanitário Estadual. Mais informações podem ser obtidas na Central de Atendimento do Daae.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: