A Justiça acatou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do empresário João Chinen, sócio-proprietário da empresa Rápido SP, na tarde desta sexta-feira (22).

De acordo com a defesa do empresário, ainda não há a confirmação sobre a data em que Chinen deverá deixar a penitenciária de Piracicaba. Mais informações na edição impressa do JC neste sábado (23).

Entenda o caso

O empresário João Chinen, 47 anos, foi preso na manhã da última terça-feira (19) em fase da Operação Passe Livre que investiga fraudes no transporte público de Rio Claro. Ele e seu operador financeiro Fabio Luiz de Queiroz tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça após investigações do Gaeco apontarem que eles, com a ajuda do ex-secretário de Finanças de Rio Claro, Japyr Porto, emitiram certidões falsas para que a empresa Rápido São Paulo fosse beneficiada e fechasse contratos com a Prefeitura de Rio Claro entre os anos de 2013 e 2016. Japyr porém teve a prisão indeferida pelo fato de não exercer mais o cargo, não podendo alterar possíveis documentos e provas.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança: