IBGE abre processo seletivo para diversas vagas na região

2060

Da Redação

O segundo processo seletivo simplificado do Censo Agro 2017 está com inscrições abertas. A microrregião, que inclui os municípios de Ipeúna, Corumbataí, Itirapina, Rio Claro e Santa Gertrudes, terá treze vagas disponíveis para a função de Agente Censitário Municipal e Agente Censitário Supervisor (Ensino Médio completo), e Recenseador (Ensino Fundamental). As inscrições podem ser realizadas somente por meio do site da Fundação Getulio Vargas (FGV) e ficam abertas até o dia 23 de maio.

Sob a responsabilidade da Fundação Getulio Vargas (FGV), a seleção oferece salários que variam de R$ 1.600,00 a R$ 1.900,00 (mais benefícios), para carga horária semanal de 40 horas. Os recenseadores selecionados terão jornadas flexíveis e serão remunerados por produção, segundo a região em que estiverem atuando e o número de estabelecimentos agropecuários recenseados.

Do total de vagas, duas são para o cargo de Agente Censitário Municipal (ACM); quatro para Agente Censitário Supervisor (ACS) e sete para Recenseador. A seleção dos candidatos será por meio de uma prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório. Os conteúdos programáticos estão no anexo I do edital.

No ato da inscrição, o candidato deverá manifestar sua opção de função e UF/Posto de Coleta ou UF/Área de Trabalho, conforme o caso, em que deseja concorrer à vaga, e também a UF/Posto de Coleta ou UF/Área de Trabalho onde realizará a prova. O valor da taxa de inscrição é de R$ 39,50 para os cargos de ACM e ACS e de R$ 22,00 para a função de Recenseador.

As operações do 10º Censo Agropecuário do IBGE começam em 1º de outubro de 2017, em todo o Brasil. No total, serão 24.984 vagas de emprego temporário em diversas regiões do País. Ao longo de cinco meses, os recenseadores irão visitar os estabelecimentos agropecuários, levantando informações sobre área, produção, pessoal ocupado, uso de agrotóxicos e agricultura familiar, entre outros temas. Os resultados começam a ser divulgados pelo IBGE em 2018.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: