Eucaliptos: Cidade Nova FC esclarece corte em Distrital

167

O corte de eucaliptos no campo do Cidade Nova Futebol Clube gerou reclamações e questionamentos de alguns vizinhos do distrital localizado na Rua 5-B.

Isaura Sarti mora próximo ao estádio do clube e, em publicação nas redes sociais, questionou o corte das árvores: “Quem autorizou a derrubar eucaliptos no Campo do Cidade Nova? Árvores centenárias estão sendo cortadas. Qual o destino das toras? Funcionários da prefeitura? Máquinas da prefeitura? Dizem que cortam pois faz sujeira e tem risco de ferir alguém. Daqui a um tempo não vai mais ter sujeira e não vão existir mais pessoas para se ferir. A natureza está sendo destruída pela ganância e a falta de sensatez. Muito triste”.

Em conversa com a reportagem do JC, Vander Costa, conhecido como Pirulito, diretor do Cidade Nova FC, explicou os motivos do corte das árvores e confirmou que tem as autorizações necessárias para tal feito.

“Se não pudéssemos cortar, não estaríamos cortando nada. Temos autorizações da Sema (antiga Sepladema), da Agricultura Municipal e Defesa Civil para realizar esta ação. Decidimos cortar pois estavam muito altos e ofereciam riscos para os atletas que jogam aqui no campo e para a comunidade que frequenta o local, inclusive crianças que jogam por aqui. Nós realmente temos essa preocupação. Não estamos tirando nada por causa de dinheiro, estamos cortando as árvores buscando a segurança da comunidade”, esclareceu o diretor do clube.

Pirulito ainda informou que a intenção da diretoria do Cidade Nova FC é plantar outras árvores no local onde estão sendo derrubados os eucaliptos: “Não há problema nenhum em derrubar os eucaliptos, pois eles são exóticos, não são originais dessa área, mas mesmo assim temos a preocupação com o meio ambiente e iremos colocar outros tipos de árvores, que sejam mais baixas e ofereçam menos riscos para quem frequenta o campo do Cidade Nova”.

Os questionamentos de vizinhos com relação aos cortes dos eucaliptos ocorreram, principalmente, pois os reclamantes afirmaram acreditar que a área pertencia à Prefeitura de Rio Claro. Procurada pela reportagem, a administração municipal informou que o corte dos eucaliptos “não é uma ação da prefeitura” e que a área não pertence ao município, mas sim está na malha de discussão da regularização fundiária na pauta da Fundação Florestal.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: