Ao final do mandato do prefeito Gustavo, expectativa é de se entregarem cinco novas escolas, seis reformas e ampliações e Centro Integrado Multidisciplinar

A Prefeitura de Rio Claro pretende reduzir em cerca de 80% a quantidade de crianças que aguardam por uma vaga nas escolas municipais até o próximo ano. Com a entrega de novas unidades escolares nos últimos meses, além de outras duas creches até o início do ano que vem, a ideia é que a fila de quase 1.300 pedidos por vagas fique próxima de 300 crianças de zero a três anos, para o ensino infantil. A informação é da titular da Secretaria Municipal de Educação, Valéria Velis, em entrevista nessa terça-feira (13) no programa Farol JC, disponível em vídeo nas redes sociais do Jornal Cidade.

“Temos trabalhado para reduzir a lista de espera. Eram 1.300 crianças, hoje temos em torno de 800 crianças e com o atendimento na Vila Paulista esse número abaixa mais um pouco, fora as duas outras creches que ainda estão em construção que vão atender em torno de 530 crianças. Com isso, fazer uma diminuição significativa da lista de espera”, comenta a secretária no que se refere à educação infantil de zero a três anos. Já para crianças de 4 a 5 anos, segundo Valéria, não há fila de espera.

A secretária municipal de Educação, Valéria Velis, em entrevista nessa terça-feira no programa Farol JC.

As duas novas creches estão sendo construídas no Residencial dos Bosques e no Jardim das Palmeiras e devem ser inauguradas no segundo semestre deste ano e no início de 2024. “De zero a três anos é esse déficit que temos. “Uma será entregue em outubro e a outra no início de fevereiro. Esperamos que essas 530 vagas estejam oferecidas e diminuam essa lista”, acrescenta. A secretária lembrou que, apesar da possível grande redução na quantidade de crianças aguardando por uma vaga nas escolas, quando se criam novas escolas, aumenta também a demanda. Isto faz por ser muito difícil zerar completamente a fila.

“Geralmente não vamos zerar pois, primeiro, há a mobilidade das pessoas de uma cidade a outra. Também a taxa de natalidade, apesar de diminuir, ainda tem muitas crianças nascendo, e a localização. Às vezes constrói-se uma escola em determinada região e aparecem programas habitacionais, casas e apartamentos, e se cria a demanda. Quando não tem aquela vaga no bairro e a gente cria, as mães vislumbram a possibilidade de trabalhar fora, aí geram demandas. Zerar a fila de espera não é tão simples”, explica Velis.

Ações

Ao longo do mandato do prefeito Gustavo Perissinotto (PSD), a expectativa é de se entregarem cinco novas escolas inauguradas, incluindo ensino infantil e fundamental, com a criação em torno de 1.200 vagas. Também serão entregues seis reformas e ampliação de salas em escolas já existentes. Ainda, também a inauguração do Centro Integrado Multidisciplinar para crianças com necessidades especiais.

Mais em Política: