Rubro-Verde terminou a série A-2 deste ano na sétima colocação, com 28 pontos somados

Matheus Pezzotti

Rubro-Verde terminou a série A-2 deste ano na sétima colocação, com 28 pontos somados
Rubro-Verde terminou a série A-2 deste ano na sétima colocação, com 28 pontos somados

A Copa do Mundo já terminou e, como havia dito, o presidente do Velo Clube, Adalberto Irineu Borges, retomou as conversas em busca de uma parceria para o clube para, a princípio, disputar a série A-2 do próximo ano.

A busca por um novo parceiro deve-se ao fato de o investidor máster, João Marcondelli, ter anunciado sua saída ao término da série A-2 deste ano, mas por enquanto a situação segue apenas em reuniões e troca de informações, sendo a última realizada na quinta-feira (17).

Publicidade

“Alguns responderam, outros não. Tive uma reunião na quinta-feira com um representante de um novo grupo, sendo duas pessoas daqui de Rio Claro que representam um empresário no Brasil. Mandei as informações para ele e vamos agendar uma nova conversa”, afirma Borges.

Na próxima quarta-feira (23), uma nova reunião com outro grupo, primeiro que iniciou as conversas antes do Mundial. “Tivemos um contato antes da Copa. Este grupo inicialmente estava interessado nas categorias de base e no futebol profissional, mas agora só o time principal interessa”, explica.

Há também mais dois grupos com os quais o presidente velista iniciou as conversações antes da bola rolar pelo Mundial aqui no Brasil. Um é de um clube grande da Região Sudeste, que pediu um pouco mais de tempo para se manifestar, até no máximo a segunda quinzena de agosto. O outro é um grupo italiano com representantes brasileiros, mas que até agora não responderam às mensagens por celular e por e-mail do mandatário do Rubro-Verde, que garante que, caso o clube não consiga um investidor, o time disputará a série A-2 no próximo ano.

“De qualquer maneira nós vamos tocar o Velo Clube. Vamos dar mais um tempo. Pretendemos definir o parceiro até o final de agosto, caso contrário entraremos com o plano B, que é pegar jogadores a custo zero, o que não é difícil de acontecer e que têm muitos no mercado, com o dinheiro do Velo Clube. Alguns treinadores também já me ligaram querendo trabalhar no clube e também estamos analisando esses nomes”, acrescenta.

Confira a matéria na íntegra na edição impressa do JC de sábado (19). Se você é assinante, clique aqui.

Mais em Esportes: