Temporal derruba quase 30 árvores em Ajapi

392

Lucas Calore

Os moradores do Distrito de Ajapi, acostumados com a tranquilidade diária no local, tiveram um grande susto no fim da tarde de terça-feira (31). Um temporal acompanhado de vendaval causou estragos em vários bairros e ainda na zona rural.

A Defesa Civil de Rio Claro foi acionada prontamente. Diversas residências acabaram destelhadas pela força do vento e cômodos foram tomados pela água. Foram 28 árvores de todos os portes que caíram sobre muros e em vias públicas.

Em uma residência, uma árvore chegou a atingir um veículo. Na chácara de Claudio C. Bueno, ao menos cinco árvores caíram. “Por sorte eu não estava no local no momento”, comentou para a reportagem.

Cinco árvores caíram em casa de morador de Ajapi
Cinco árvores caíram em casa de morador de Ajapi

Estragos

Na estrada da Mata Negra, vários espécimes de árvores foram ao chão, ocasionando problema aos veículos que trafegavam pelo trecho. Equipe da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal deu apoio no corte dos troncos.

Segundo Niuro Ribeiro, técnico de meteorologia da Defesa Civil, não é possível medir a velocidade do vento e tampouco a quantidade de chuva que atingiu o distrito, pois não há equipamentos da estação meteorológica naquela região. “Os danos na rede elétrica foram resolvidos rapidamente pela concessionária”, informou.

Na foto, árvores que caíram em estrada rural na Mata Negra
Na foto, árvores que caíram em estrada rural na Mata Negra

Cuidados

Ainda de acordo com o técnico, situações como a que aconteceu em Ajapi podem gerar riscos aos munícipes. Para evitar maiores problemas, a recomendação em caso de tempestades é que a população busque abrigos seguros. “Se estiver na rua deve-se buscar abrigos como lojas, prédios públicos e evitar ficar debaixo de árvores”, orienta. Há também possibilidade de alagamento durante essas ocorrências. Nesses casos, Ribeiro também recomenda que em ruas alagadas o condutor do veículo deve buscar rotas alternativas seguras evitando trafegar por áreas de risco.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: