Rio Claro assina acordo com Centro Paralímpico

142

Celebrado nesta terça-feira (3), o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência é mais uma data para refletir sobre o poder da inclusão e sua necessidade real.

Em entrevista à Rádio Excelsior Jovem Pan News, o radialista e assessor dos direitos da pessoa com deficiência da prefeitura municipal de Rio Claro, Paulo Meyer, falou sobre o trabalho realizado pelo poder público local e também trouxe novidades.

“Nesta terça-feira (3), no Gabinete do Prefeito, a partir das 11 horas, acontece a assinatura do acordo do município com o Centro Paralímpico, que irá ministrar cursos para os professores de educação física da prefeitura. Também nos próximos dias, a Secretaria de Meio Ambiente lançará uma cartilha que trabalhará o tema ‘Meio Ambiente e a Inclusão’ e uma outra grande conquista vem da pasta de Cultura, onde será assinado um decreto para haver acessibilidade no Centro Cultural: teremos libras para deficientes visuais e audiodescrição para cegos em todas as apresentações particulares”, explica Meyer.

Paulo Meyer fala sobre os projetos que estão em andamento. “Quando falamos de acessibilidade, precisamos pensar em políticas públicas e principalmente em fazer com que as pessoas tenham consciência do seu papel quanto à inclusão. Tivemos a criação da Assessoria, o que fortalece ainda mais o vínculo entra a população, o poder público e as entidades que tratam sobre o assunto. O Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência está passando por uma reestruturação”, aponta.

O assessor e radialista fala sobre as rampas que foram adquiridas recentemente pela prefeitura. “São 295 novas rampas que estão sendo instaladas de acordo com a real necessidade. As pessoas estão sendo ouvidas, assim como as instituições, para que as melhorias sejam efetivas e cumpram com o objetivo.”

Rio Claro está à frente de muitas outras cidades, segundo o assessor. “Estamos trabalhando para que consigamos cada vez mais melhorias, mas é preciso lembrar que a inclusão é consciência, todos precisam contribuir. A inclusão começa no coração, aceitar o ser humano em sua desigualdade de situação para torná-la em igualdade de situação”, finaliza.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: