Folhapress

A agente da Polícia Civil do Distrito Federal Rafaela Motta Ferreira, de 40 anos, foi presa preventivamente na madrugada desta quinta-feira (2). Ela é investigada pelo crime de stalking (termo para crime de perseguição reiterada) e estava em liberdade provisória, proibida de se aproximar do ex-namorado.

Segundo a Polícia Civil, a agente descumpriu a medida restritiva e a Corregedoria da Polícia Civil do Distrito Federal representou pela prisão preventiva da agente ao Poder Judiciário. Rafaela foi encontrada em um apartamento de um familiar e se apresentou apenas com a chegada dos advogados. A agente está na carceragem da Polícia Civil, aguardando audiência de custódia. “Confirmada a legalidade da prisão, será encaminhada ao presídio feminino, onde ficará por tempo indeterminado”, afirmou a corporação em nota.

O UOL entrou em contato com a defesa de Rafaela para posicionamento e aguarda retorno.

Rafaela Mota é investigada por perseguir um ex-namorado, de 39 anos, com quem teve um relacionamento em 2018.

Os dois se conheceram em um aplicativo de paquera e ela é suspeita de tê-lo ameaçado após uma tentativa do namorado de romper a relação.

Nesta quarta-feira (1), o telejornal “DFTV”, da TV Globo, exibiu um caderno apreendido pela Polícia Civil na casa da agente, que é peça da investigação. Nele, Rafaela supostamente escrevia ameaças contra ex-namorados.

Ela chegou a ser detida pela terceira vez em novembro, após furar os pneus do carro dele e o esfaquear. Na ocasião, a defesa da servidora pública negou as acusações e disse que Rafaela tentou se defender de agressões do ex-companheiro.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro tem 40 hospitalizados por Covid

’50+’: ‘O melhor da vida é o hoje’