Foto: Fabrizzio Montezzo.

Vamos entender o que é a Superlua

Hoje, logo após o ocaso do Sol, observe a Lua nascendo no lado leste, será um evento astronômico fantástico, pois a Lua estará cerca de 6% maior e 13% mais brilhante. A Lua atingiu nesta segunda, dia 3 de julho, exatamente às 8:39 horário de Brasília, a elongação em relação ao Sol, observada da Terra, de aproximadamente +175º, o que corresponde na geometria, uma medida próxima de uma linha reta, uma linearidade. Como o fenômeno da Lua cheia ocorre entre três astros, a Terra, a Lua e o Sol, e a Lua neste caso fica entre a Terra e o Sol, ocorrendo em um determinado momento da sua posição na órbita em torno da Terra, um alinhamento de 180º, não sendo exato, mas basicamente uma linha reta no espaço entre os astros. Esta é a fase cheia da Lua, o plenilúnio ou a oposição lunar, em que este último termo, é o que mais gosto de usar.

O Perigeu é o momento em que a Lua atinge na sua órbita elíptica em torno da Terra de maior proximidade. Com isso, quando o Perigeu coincide de estar no mesmo momento da fase de oposição da Lua, e podendo ser observada, dizemos que é a Lua Cheia no Perigeu, popularmente conhecida como “Superlua”.

Porém, o momento exato do perigeu neste mês de julho, é no dia 4, exatamente às 19:31 horário de Brasília, o que dá uma diferença de basicamente um dia e meio, portanto, a Lua cheia e o perigeu não serão nem no mesmo dia, quanto mais no mesmo momento, ou próximos, e estarão com basicamente quase 35 horas de diferença, mas, muita gente a chama de “Superlua”, e o que não a deixa de ser plena e bonita para observar e fotografar, pois ela estará com cerca de 33′ minutos de arco de diâmetro aparente, maior que a média de 30′.

A denotação que pode ser usada para esta Lua em plenilúnio do dia 3, seria “Lua Cheia Próxima do Perigeu”. Este ano, apenas um mês teremos a Lua cheia no mesmo dia do perigeu, será em agosto.

Ótimas noites de observações a todos.

Com informações do astrônomo Fabrizzio Montezzo