O problema envolvendo as várias horas da falta de água em parte do município no último fim de semana, também chegou à Câmara Municipal nessa segunda-feira (17). Como não poderia deixar de ser, o alvo foi a gestão do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae), autarquia responsável pelo abastecimento de água na cidade.

Os vereadores aprovaram um requerimento de autoria do vereador Rafael Andreeta (PTB) em que indaga quais os investimentos que têm sido realizados para evitar a falta de água no município. Foi o mote para o assunto virar uma longa discussão em plenário. “É uma falta tremenda de respeito deixar faltar água. E não foi só nesse final de semana. Essa falta vem ocorrendo com frequência. E quando não falta, vem água bastante suja. Quais investimentos foram feitos? Se foram feitos?”, indagou Andreeta.

A colega da oposição, Maria do Carmo Guilherme (MDB), encaminhou voto favorável à propositura. “Tem que deixar claro para a população o que está acontecendo”, disse, lembrando do antigo projeto do Poder Executivo para financiar R$ 5 milhões ao Daae para compra de máquina e pagamento de dívidas da antiga gestão, mas que foi arquivado.

Rogério Guedes (PSB) afirmou que “se chove, falta água. E quando volta, vem suja. Se não chove, falta água porque não tem água no rio. Investimento zero”, declarou na sessão.

O primeiro vereador da base governista a tentar defender a Prefeitura foi Júlio Lopes (PP). “A tubulação é muito antiga. Ainda bem que trocamos aproximadamente 160 quilômetros de redes, mas em muitos locais as adutoras não foram trocadas. Quando há carga maior na pressão, elas estouram”, afirmou, dizendo ainda que o crédito da antiga dívida foi resolvido. Yves Carbinatti (Cidadania), também da oposição, disse que “o problema está acontecendo e precisa ser solucionado. A solução tem que ser dada pelo prefeito do mandato atual”.

Debate

O ex-líder do governo, Paulo Guedes (PSDB), saiu pela tangente. “O Paulo [Bortolotti, superintendente do Daae] não tem culpa, o prefeito não tem culpa, nós [vereadores] não temos culpa. O que ocorreu foi uma situação provocada com a ação do tempo”, disse o tucano. Adriano La Torre (PP), também da base governista, assim como Geraldo Voluntário (DEM), também falaram do quão antigas são as adutoras e encaminharam favoráveis ao requerimento. Agora, o Poder Executivo tem alguns dias para responder oficialmente à propositura do vereador autor.