Cinco famílias de crianças de 1 a 3 anos vacinadas contra a Covid-19 por engano na cidade de Itirapina, região de Rio Claro, no mês de abril deverão ser indenizadas pela Prefeitura por danos morais. A Justiça concedeu sentença favorável nesta semana aos familiares que entraram com ação de indenização contra o município após o episódio.

Conforme o Jornal Cidade noticiou na época, 46 pessoas, incluindo 18 adultos (entre eles gestantes) e 28 crianças, receberam doses da Coronavac ao invés da vacina contra o vírus Influenza. O engano se deu, segundo a Prefeitura informou na época, na separação dos fracos por uma técnica de enfermagem.

O advogado que representa as famílias declarou na noite de ontem (22) ao JC que deverá entrar com um recurso contra a sentença na próxima semana. Isto porque o valor da indenização, R$ 5 mil por cada família, foi considerado insuficiente.

“Aconteceu esse erro que causou danos psicológicos às mães dessas crianças. Não estamos felizes com o valor da condenação e vamos recorrer. O dano sofrido foi muito superior. Lógico que nenhum dinheiro vai comprar o retorno da situação, mas acreditamos que pela gravidade dos fatos e não ter estudos científicos as crianças foram usadas como cobaias praticamente”, afirma à reportagem o Dr. Marcelo Mesquita Junior.

Após o episódio da vacinação errônea, a Prefeitura de Itirapina comunicou os familiares das crianças sobre o ocorrido e todos foram acompanhados pela Secretaria Municipal de Saúde. Ainda na época, a prefeita Dona Graça (PSDB) classificou o ocorrido como ‘lamentável’ e pediu desculpas à população anunciando processo administrativo para apurar o fato.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro terá feiras livres na sexta, sábado e domingo

Rio Claro teve 13 novos casos de Covid em 24 horas

Rio Claro vacinou na terça-feira 1.160 pessoas contra a Covid