Vereadores da Câmara Municipal repercutiram na sessão dessa segunda-feira (13) a respeito da possibilidade de mudança da tradicional Feira do Cervezão. Reportagem do Jornal Cidade revelou na edição de domingo (12) que os feirantes poderão ter de deixar o tradicional local, em terreno da Avenida M-25, o qual ocupam há cerca de 40 anos. A área, em sua maior parte, é particular e o proprietário instalou uma placa para alugar o terreno. O restante é da Prefeitura. Uma reunião será marcada em breve para tratar do tema com os feirantes.

“Feirantes estão nervosos e preocupados. Falei com o secretário Joaquim, da Secretaria Municipal de Agricultura, que foi ao meu gabinete e ficou marcada uma reunião na Lagoa Seca com os feirantes. É inadmissível a feira sair depois de 40 anos a feira sair do Cervezão”, disse Hernani Leonhardt (MDB). O colega de Mesa Diretora, Adriano La Torre (PP), apoiou a articulação. “Tudo que estiver a favor dos feirantes estou à disposição”, disse.

O assunto também foi destacado pelo vereador Rafael Andreeta (sem partido). “Para depois nós não termos problemas, temos que correr contra o tempo. Amanhã aluga ou vende a propriedade e os feirantes ficarão em situações complicadíssimas. O Joaquim (Agricultura) nos mostrou um projeto na Lagoa Seca, uma parte dos comerciantes quer, outra parte está cismada. Por ser dentro do Cervezão, o local adequado é a Lagoa Seca. Temos que cobrar as pastas responsáveis para fazer trabalho de infraestrutura na Lagoa”, afirmou Andreeta.

Julinho, que se reuniu ao lado de Hernani com a pasta da Agricultura na manhã de ontem, disse que “o local onde hoje estão não tem infraestrutura. Na Lagoa tem ponto de energia, têm banheiros e sanitários. Precisamos melhorar condições do chão e verificar espaço para entrar os caminhões. É no meio do Cervezão, a dois quarteirões do local atual, não irão perder, mas ganhar”, acrescentou. “Temos que trabalhar o melhor para aquelas famílias terem o espaço”, opinou Sivaldo Faísca (União Brasil).

A vereadora Carol Gomes (Cidadania) destacou sobre uma possibilidade de se fazer usucapião ou regularização fundiária no terreno, mas foi informada pelos pares que não seria possível. Diante disso, defendeu que seja “construído um local apropriado, que eles (feirantes) desejam. Conversar com eles e oferecer possibilidades”, disse.

A reportagem do JC conversou com a Secretaria Municipal de Agricultura, responsável pela gestão das feiras em Rio Claro. De acordo com o chefe de gabinete da pasta, Elias Hussni, há um projeto pronto para ser apresentado aos feirantes do Cervezão para confirmar a mudança de local para dentro da Lagoa Seca.

“Estamos atualmente em fase de análise para viabilizar a implementação desta alteração. Embora não haja uma data definitiva, já existe um projeto em andamento para a remodelação e adaptação da área da Lagoa Seca, visando à feira aos domingos. Os principais impulsionadores dessa mudança residem na natureza não municipal do terreno atualmente disponível para locação, nas limitações do acesso aos recursos, como o uso do banheiro da escola, e nas restrições da capacidade elétrica do local, impactadas pela frequência crescente dos feirantes”, finaliza Elias.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Rio-clarense que mora nos EUA faz sucesso no TikTok