Deputados tornem lei “segunda sem carne” em SP

688

A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou projeto de lei de 2016, do vereador Feliciano Filho (PSC) que proíbe a venda e o fornecimento de carne às segundas-feiras em restaurantes, bares, lanchonetes e refeitórios localizados dentro de órgãos públicos do Estado.

O texto prevê multa de R$ 7,5 mil, dobrada em caso de reincidência, para os estabelecimentos que descumprirem a regra. Diz ainda que os estabelecimentos devem deixar expostos em locais visíveis placas com as alternativas ao consumo de carne.

Na justificativa do projeto de lei (documento de praxe, que tem de ser enviados com todos os textos submetidos ao plenário), Feliciano Filho afirmou que a ideia era chamar a atenção para o “as consequências do consumo de carne e de seus derivados, relacionando tal questão diretamente aos direitos dos animais, à crise ambiental, ao aquecimento global, à perda de biodiversidade, às mudanças climáticas e às diversas doenças que afligem a população humana, incluindo doenças cardiovasculares, doenças crônicas degenerativas, colesterol elevado, diversos tipos de câncer e diabetes”.

O parlamentar foi procurado em seu gabinete nesta quinta-feira, mas nenhum de seus auxiliares atendeu as ligações do Estado.

O texto, agora, será enviado para sanção do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que pode aprová-lo na íntegra, vetar parte do material ou vetar toda a proposta.

4 COMENTÁRIOS

  1. A falta de criatividade do político brasileiro é realmente uma coisa impressionante, desconhecendo seus limites eles se metem em tudo, perdem o bom senso, se envolvem num ridículo e desperdiçam o tempo com baboseiras. Vai ser difícil trabalhar à altura do que ganham mas poderiam pelo menos parar de incrementar a fábrica de leis inúteis ou que atrapalham a vida dos cidadãos. Creio até que o mosquito aedes aegypti está circulando o vírus da ignorância política nas redondezas de todas as entidades políticas, pois o tempo passa e todo dia tem besteiras novas por parte deles. A única vacina pra isso se chama o voto e agente espera que a população faça bom uso desse combate.

  2. É qual a sugestão para alimentação ?
    Proibir com esses argumentos é fácil,mas é preciso expor a população um cardápio onde encontremos os mesmos nutrientes ,proteínas ,etc…

Qual sua opinião? Deixe um comentário: