Lourenço Favari

Diretor participou de várias rodadas de negócios em Cannes
Diretor participou de várias rodadas de negócios em Cannes

De volta a Rio Claro, o cineasta de Rio Claro João Paulo Miranda Maria, que teve curta-metragem selecionada para a Semana da Crítica em Cannes, falou com exclusividade ao Jornal Cidade sobre a experiência de ter participado do festival e sobre o futuro no cinema.

“A estabilidade financeira ainda não é certa, mas mudou da água para o vinho devido a minha participação no festival”, declarou. Ele lembra que há cinco anos não são selecionados filmes para competições no festival e isso deu visibilidade ao seu trabalho. “Com certeza isso se deve à liberdade de visão que acabei tendo dentro do município. Esta liberdade estética fez com que eu chegasse a Cannes”, comemora.

PROJETO

Durante as rodadas de negócios no festival, João Paulo fechou acordo para a produção de um longa-metragem. “Mesmo com o projeto fechado, preciso aguardar. Na visão mais otimista devo começar a gravar somente no segundo semestre de 2016”, explica.

Com argumento já definido, o cineasta deve terminar o roteiro do filme até o fim do ano. “Ainda estou vendo onde será filmado, mas estou pensando na Holanda. Participei de várias reuniões. Conheci um produtor da Holanda que já produziu o cineasta brasileiro Carlos Reichenbach e que se interessou pelo meu trabalho. Depois de assistir ao meu curta, ele se comprometeu a produzir meu filme”, revela.

O longa, com título provisório de ‘Museu de Antiguidades’, conta a história de um imigrante que vive na Europa como temporário. Ele mora numa pequena cidade e acaba descobrindo em outra casa objetos relacionados ao seu passado, sem nunca antes ter estado no local.

DISTRIBUIÇÃO

De Cannes, João Paulo já tinha revelado que assinou contrato com a Gonella Productions, responsável por distribuir filmes renomados, inclusive alguns indicados ao Oscar. “Tive três propostas diferentes, mas esta achei mais atraente”, relata.

PROGRAMA

O cineasta vai participar em dezembro do programa Next Step, criado em colaboração com o Torino Film Lab. O objetivo do projeto é apoiar os selecionados da Semana da Crítica a realizarem um longa-metragem. “Vou trabalhar com os maiores especialistas da área no mundo. Vou ficar na França durante um período”, conta.

Questionado sobre o festival apostar em seu talento, o diretor respondeu: “É o maior festival do mundo. Quando você é selecionado, eles precisam que você dê certo”, diz.

CURTA

O curta “Command Action”, de João Paulo, foi selecionado para Semana da Crítica do 68º Festival de Cannes. A história se passa na tradicional feira popular do Cervezão, em Rio Claro, e narra a história de um menino que está comprando legumes para sua família, quando algo muda em seu caminho.

O protagonista é David Martins, um adolescente de 14 anos, estudante de Rio Claro, que realizou o primeiro trabalho como ator no filme. O curta, que teve baixo orçamento para os padrões da indústria cinematográfica, teve o apoio da Lalique, Sport Star, KiFrios e Colégio Koelle.

O curta vai competir também no Festival Curtas Vila do Conde, que acontece em Portugal em julho e contará com a presença do cineasta.