Os motociclistas de Rio Claro e região têm uma nova opção para comprar ou trocar a sua máquina. A Shineray Motos está instalada na Rua 14, nº 1.459, em um espaço amplo e com atendimento especializado. A marca inaugurada em 2015 reúne: qualidade, design e alto desempenho para o desenvolvimento da sua linha de motos, ciclomotores, triciclos e quadriciclos, um mix de produtos para atender a todas categorias existentes do segmento duas rodas. A primeira montadora fora do país de origem e a única planta industrial do Brasil a fabricar motos fora da Zona Franca de Manaus. Erigida exclusivamente com capital nacional do grupo pernambucano, os veículos de duas e três rodas são montados na fábrica com peças trazidas da China sobre chassi nacional.

A marca possui um dos preços mais acessíveis do mercado, mas sem dispensar a qualidade dos produtos.

“Os preços são acessíveis, prezando pela qualidade e garantia de fábrica nas elétricas e nas a combustão. Em comparação com as outras marcas, oferecemos mais benefícios por um preço menor”, explica o proprietário Fabricio Walder Carlevaro.

Na loja em Rio Claro, os clientes poderão adquirir as motos a combustão a partir de 50 cilindradas, assim como as motos elétricas.

“Temos a scooter elétrica, que é febre no momento e, para quem pensa em economia, é uma grande opção. Além, claro, das motos a gasolina com vários modelos à disposição de 50 até 150 cilindradas. Temos a Jet de 50cc, a Worker 125cc que é um estilo mais retrô e o lançamento que é a Jef 150cc, além de novos modelos que a marca irá lançar em breve”, apontou.

Na Shineray Motos Rio Claro é possível encontrar dois modelos das scooters elétricas, a P2 e P3, com boa autonomia e velocidade máxima de 50 quilômetros.

“Temos dois tipos de chassi, mas com as mesmas configurações. O cliente consegue adaptar algumas características individuais, como um garfo duplo na frente ou um central, uma com um design um pouco mais baixo, outra mais alto, depende muito para o que ela será utilizada”, explicou.

Fabricio alerta que para dirigir as motos elétricas também é necessária a Carteira Nacional de Habilitação.

“Atendemos os clientes sempre falando a verdade e prezando pela idoneidade. Às vezes é distorcido em alguns lugares, informando que não é necessária a CNH, mas é obrigatória, assim como capacete e respeitar todas as leis de trânsito”, finalizou Fabricio Walder Carlevaro.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Showcar: