A região de Piracicaba registrou redução nos casos e vítimas de latrocínio, furtos e roubos em geral e de carga e nos estupros, em janeiro de 2020. Os roubos a banco e as extorsões mediante sequestro ficaram zeradas. Os furtos de veículos permaneceram estáveis.

Em janeiro não foi contabilizado nenhum caso de latrocínio. Em igual mês do ano anterior, houve duas ocorrências, com duas mortes. É o menor número de casos da série histórica, iniciada em 2001, para o mês de janeiro.

Os estupros tiveram queda de 16 casos em números absolutos. A quantidade passou de 76 para 60.  Em contrapartida, houve quatro casos e seis vítimas de homicídio doloso a mais na região. Em igual mês de 2019, foram contabilizadas 15 ocorrências, com 16 vítimas. Com os resultados, as taxas dos últimos 12 meses (fevereiro de 2019 a janeiro de 2020) ficaram em 5,56 casos e 5,84 vítimas de homicídios dolosos para cada grupo de 100 mil habitantes. As extorsões mediante sequestro permaneceram zeradas pela 19ª vez em um mês de janeiro.

Roubos e furtos
Houve 13 ocorrências a menos de roubos em geral no período, se comparado ao primeiro mês de 2019. O número passou de 617 para 604. A quantidade é a menor da série histórica.

O indicador de roubo de veículo teve alta de 12 casos em janeiro deste ano, em comparação com igual mês do ano anterior, quando foram contabilizadas 161 ocorrências. Em contrapartida, os roubos de carga apresentaram redução de cinco boletins. A quantidade passou de 23 para 18.
Os roubos a banco, por sua vez, permaneceram zerados pela terceira vez consecutiva. 
Nos furtos em geral a queda foi de 16,8%, com a diferença de 427 ocorrências. O indicador passou de 2.549 para 2.122 em janeiro de 2020. O número é o menor da série histórica.

Produtividade
O trabalho das polícias paulistas na região de Piracicaba, em janeiro deste ano, resultou em 1.069 prisões e na retirada de 76 armas de fogo. Houve 319 flagrantes de tráfico de drogas no mês.