Duas árvores localizadas no início da Via da Saudade com a Rua 8 começaram a ser cortadas. O local é considerado cartão-postal, uma das mais bonitas do Brasil e a questão de retiradas de exemplares é sempre polêmica.

Em razão disso, a reportagem do JC procurou a prefeitura e, através do analista de planejamento e ecólogo Tadeu Olivetti, explicou a decisão: “São Fícus microcarpa, exemplares de 1930. Elas acabaram atingidas por pragas que levaram à morte. Quanto maior a diversidade, menor problema temos com o surgimento de pragas. Mas como há 90 anos essa foi a espécie exótica escolhida aqui para a Via da Saudade, acaba acontecendo isso. Aparece uma praga, ela acaba dizimando as árvores. Infelizmente temos nesta mesma via mais algumas em estágio avançado de decrepitude”, afirmou.

Duas árvores localizadas no início da Via da Saudade com a Rua 8 começaram a ser cortadas. O local é considerado cartão-postal, uma das mais bonitas do Brasil e a questão de retiradas de exemplares é sempre polêmica.

Em razão disso, a reportagem do JC procurou a prefeitura e, através do analista de planejamento e ecólogo Tadeu Olivetti, explicou a decisão: “São Fícus microcarpa, exemplares de 1930. Elas acabaram atingidas por pragas que levaram à morte. Quanto maior a diversidade, menor problema temos com o surgimento de pragas. Mas como há 90 anos essa foi a espécie exótica escolhida aqui para a Via da Saudade, acaba acontecendo isso. Aparece uma praga, ela acaba dizimando as árvores. Infelizmente temos nesta mesma via mais algumas em estágio avançado de decrepitude”, afirmou. Os trabalhos devem ser finalizados até segunda-feira (30).

Confira a entrevista em vídeo realizada no local do corte dos exemplares: https://fb.watch/7EM1gNP5D1/.

“Já existe um projeto pronto”, diz Olivetti

Questionado sobre o futuro e replantio de árvores no local onde esses exemplares foram retirados, Tadeu Olivetti explicou: “Já existe um projeto pronto. Estamos em um processo de aquisição de mudas e no máximo em 15 dias já teremos parte delas em mãos e já vamos começar a fazer essa recomposição. Não vamos perder a beleza da Via da Saudade. Todas as árvores que nós vamos plantar têm a mesma fisionomia arquitetônica desse Fícus microcarpa. Estamos realizando tudo baseado em estudos e o principal: com muito planejamento em prol do meio ambiente”, finalizou.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Veículo capota e deixa duas vítimas leves em Rio Claro

Cresce o número de brasileiros interessados em deixar o país

Vídeo mostra poeira em estrada rural da região