Poluição: descarte de lixo afeta o corpo hídrico do Corumbataí

142

Adriel Arvolea

Fato observado é no ponto próximo ao viaduto da Rodovia Wilson Finardi (sp-191), na Estrada do Sobrado, área rural
Fato observado é no ponto próximo ao viaduto da Rodovia Wilson Finardi (sp-191), na Estrada do Sobrado, área rural

O Corumbataí é a principal fonte de captação de água de Rio Claro, que é feita pela ETA 2 (Estação de Tratamento de Água) e abastece 60% da cidade. No entanto, a poluição causada pelo homem afeta o seu corpo hídrico.

Fato observado é no ponto próximo ao viaduto da Rodovia Wilson Finardi (SP-191), na Estrada do Sobrado, área rural. Nesse local, o dano ambiental é mais nítido. Sacos plásticos, garrafas PET e outros objetos são lançados num banco de areia às margens do rio, sendo que a sujeira acumula-se na parte rasa. O local atrai visitantes para o lazer.

Para João Teixeira, que trabalha numa propriedade rural nas proximidades, a situação no local reflete o desrespeito das pessoas para com o meio ambiente. “Tem gente que sai de casa e vem à margem do rio em busca de lazer, mas deixa o que trouxe: lixo. É certo que não há lixeiras, porque não é um espaço oficial para receber o público, e sim improvisado. Mas nada impede de a pessoa levar embora a sujeira que produziu”, comenta.

A Bacia Hidrográfica do Corumbataí abrange os municípios de Rio Claro, Itirapina, Analândia, Corumbataí, Charqueada, Ipeúna, Santa Gertrudes e Piracicaba. A bacia ocupa área de 170 mil hectares. Abastece diretamente 500 mil pessoas e, indiretamente, outros cinco milhões de habitantes. Seu principal rio é o Corumbataí, que nasce em Analândia, na Serra de Santana, e percorre 130 km, tendo sua foz no bairro Santa Terezinha, em Piracicaba.

Na tentativa de minimizar os impactos ambientais, o Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae), desde 2009, resgatou o viveiro que hoje em dia produz 20 mil mudas de árvores ao ano, as quais são plantadas na bacia do Rio Corumbataí.

Já, em maio de 2014, a preservação das áreas no entorno das nascentes do Corumbataí foi tema principal de reunião, na Câmara de Piracicaba, entre os parlamentares que integram o Fórum Permanente em Defesa do Rio Corumbataí. Serão realizadas reuniões a curto prazo em cada uma das cidades participantes, com a participação de equipe técnica, para que relatórios individuais possam dar sustentação ao dossiê que apontará as carências da bacia.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: