A Câmara Municipal arquivou nessa quarta-feira (22) um pedido de abertura de comissão processante contra o vereador Julinho Lopes (PP). Em sessão extraordinária para votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), convocada na sessão da última segunda-feira, houve a leitura do documento protocolado pelo presidente do PSOL Rio Claro, Vinícius Rodrigues, e a filiada Rosemeire Archangelo. Na pauta, citam a investigação em curso no Ministério Público para apurar denúncia de suposta prática de ‘rachadinha’ com o parlamentar e o ex-servidor Carlos Hara.

Os representantes argumentam a existência de um vídeo que circulou pelas redes sociais em que mostra o vereador Julinho e o ex-funcionário numa sala fechada em que o homem dá notas de dinheiro para o parlamentar. O registro motivou, através da Promotoria de Justiça, a instauração de um inquérito civil para investigar do que se trata a questão. Anteriormente, ao Jornal Cidade, o Ministério Público informou que a apuração passou a tramitar em segredo de Justiça.

A petição diz que é “incompatível com o decoro do Poder Legislativo, além de casos definidos no Regimento Interno, o abuso das prerrogativas asseguradas ao vereador ou a percepção de vantagens indevidas, o que aparenta o vídeo circulado nas redes sociais junto com a declaração do representante legal do ex-assessor ao Jornal Cidade, de que o vídeo é real e que teria havido a devolução do salário ao vereador”.

QUEM FOI A FAVOR E CONTRA: O documento solicita, nos termos da lei, a instauração de uma comissão processante para apurar a conduta do parlamentar e o conteúdo denunciado, citando a possibilidade de improbidade administrativa. Em plenário, apenas os vereadores Carol Gomes (Cidadania) e Luciano Bonsucesso (PL) foram favoráveis à abertura da CP. Os demais presentes foram contra: Diego Gonzales (PSD), Irander Augusto (Republicanos), Val Demarchi (União Brasil), Paulo Guedes (PSDB), Vagner Baungartner (PSDB), Hernani Leonhardt (MDB), Geraldo Voluntário (MDB), Adriano La Torre (PP). Julinho se absteve da votação e o presidente José Pereira (PSD) não vota.

Alessandro Almeida (Podemos), Rodrigo Guedes (União Brasil), Sivaldo Faísca (União Brasil), Moisés Marques (PP), Serginho Carnevale (União Brasil), Thiago Yamamoto (PSD) e Rafael Andreeta (sem partido) não estavam presentes na sessão. Defesa: O vereador Julinho Lopes comunicou que seu departamento jurídico está trabalhando na sua defesa junto ao Ministério Público.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Política:

Provável apoio de Tebet a Lula abre disputa no MDB

Ciro acompanha PDT e anuncia apoio a Lula no 2º turno