Imagem promocional do filme O Pequeno Príncipe

Wagner Gonçalves

Imagem promocional do filme O Pequeno Príncipe
Imagem promocional do filme O Pequeno Príncipe

A história de um príncipe que saiu de seu pequeno planeta para encontrar um amigo. Esta ideia talvez sintetize, de certa forma, um dos clássicos da literatura que rompeu as fronteiras do território francês e ganhou os corações de leitores do mundo todo.

A obra completou 70 anos, em 2013, desde que foi escrito pelo ex-piloto francês Antoine de Saint-Exupéry, e publicado durante a Segunda Guerra Mundial. Com um discurso em que o amor e, principalmente, a amizade são destacados, o título atrai leitores de todas as idades, os que são ou já foram crianças algum dia.

O sucesso atemporal continua a inspirar artistas e motivou a criação de uma nova versão do filme, que será lançada oficialmente no próximo dia 20 de agosto nas telas dos cinemas brasileiros.

Johnny Landgraf no dia em que comprou o livro
Johnny Landgraf no dia em que comprou o livro

Para se ter noção da grandiosidade, O Pequeno Príncipe é o terceiro livro mais traduzido do mundo, atrás apenas de A Bíblia Sagrada e O Peregrino. O título já foi traduzido para mais de 250 idiomas e continua a encantar com mensagens e as aquarelas, feitas pelo autor, mantidas em todas as edições.

Na França são vendidos atualmente 5 mil exemplares por semana. Além disso, no Brasil, segundo o PublishNews, foi o 9° livro mais vendido em 2014. Nas livrarias de Rio Claro, a versão original é muito procurada para presentear amigos, entes e familiares. “Esse é um clássico que faz sucesso entre crianças e adultos, são poucos os que não conhecem, mas os que já leram, recomendam”, disse a vendedora trainee Alice Picelli.

É possível, ao andar pela loja, ver novas adaptações do livro, como a história contada pela Turma da Mônica, além de jogos e uma versão para colorir, semelhante aos títulos que vêm fazendo sucesso, principalmente entre adultos.

Na ocasião em que foi lançado o caderno para colorir, Johnny Landgraf ficou curioso ao ouvir os comentários. “Como seria possível um livro com mais de 70 anos fazer tanto sucesso assim?”, perguntava a si mesmo. No mesmo dia em que adquiriu a obra original, começou a ler e não conseguia parar.

Ele comenta que o fato de o principezinho cativar as pessoas de todas as idades se dá por algo simples, e justifica com uma das passagens mais famosas: “só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”. No contexto em que foi escrito, em meio aos embates mundiais e às guerras que resultaram em um exorbitante número de mortos, o autor trouxe uma proposta de mensagem que exaltaria a amizade.

“Isso mostra o quanto o amor e o carinho são importantes”, afirmou Landgraf, destacando o apreço pelas mensagens transmitidas nas entrelinhas da história. Nas aventuras do príncipe viajante é possível perceber a sensibilidade com que se trata o simples fato de cativar as pessoas, criar laços e consolidar amizades, mensagens que se aplicam em qualquer época, e podem ser adaptadas a qualquer que seja a cultura.

Na livraria, a vendedora Alice Picelli mostra as versões do título que deu origem ao filme
Na livraria, a vendedora Alice Picelli mostra as versões do título que deu origem ao filme

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias: