Gustavo Perissinotto e Rogério Guedes, de costas na foto, durante a campanha eleitoral. Foto: Redes Sociais/Gustavo Perissinotto

Conhecido por “minar” a oposição atraindo adversários para seu governo, o prefeito Gustavo tem o opositor “dentro de casa”, o seu vice Rogério

”Desde o início do mandato eu tenho um estilo de trabalho totalmente diferente do prefeito Gustavo Perissinotto. Eu gosto de rua, gosto de povo, fico o dia inteiro na rua. O prefeito Gustavo, ele não tem esse perfil, ele não gosta de estar na rua, não gosta de estar nos bairros, e isso aí causou um pouco de ciúmes”. Foi assim que o vice-prefeito de Rio Claro, Rogério Guedes, iniciou sua entrevista no Jornal da Manhã da Rádio Jovem Pan News na terça-feira (8), ao ser questionado se foi surpreendido pela exoneração do cargo de secretário da Segurança assinada pelo prefeito Gustavo ou se já havia um desgaste no relacionamento.

O “divórcio” que já vinha se configurando numa série de divergências desde o início da mandato teve sua gota d’água no vídeo postado pelo vice-prefeito nas redes sociais criticando a venda da área do aeroporto orquestrada por Gustavo. Nos bastidores, o comentário é de que o posicionamento público contrário de Rogério era a deixa que o prefeito aguardava para tirar o vice do comando da Segurança, aproveitando também para uma “limpa” nos indicados de Rogério no loteamento de cargos do governo e resumindo sua participação ao figurativo cargo de vice.

Resta saber agora se a estratégia para eliminar o fogo amigo vai ser tão eficiente como o talento de Gustavo para desmontar a oposição, novela que teve novo e importante capítulo nos últimos dias com a adesão do MDB. Embora a ex-vereadora e segunda colocada na eleição ao Executivo Maria do Carmo Guilherme já estivesse sob o guarda-chuva do governo, o esvaziamento do bloco de apoio emedebista ao ex-prefeito Du Altimari pode vir a ser a cereja do bolo. A maior “pedreira” para Gustavo deve ser mesmo o embate com o vice-prefeito. O que ensina, para a política e para a vida, que é preciso tomar cuidado na hora de casar. Mesmo que o “dote”, no caso o voto da direita conservadora, possa parecer extremamente interessante durante o namoro.


A nomeação do emedebista Gustavo Viegas Carneiro como o novo secretário da Segurança sela o apoio do MDB ao governo de Gustavo Perissinotto (PSD), segundo declararam o presidente do partido, Bruno Oliveira, e o vereador Hernani Leonhardt (foto abaixo) em entrevista à Rádio Jovem Pan News na sexta-feira (11). Confira em youtube.com/jornalcidade.

De corpo e alma

“A gente tem o exemplo da famosa PPP do Daae. A parceira público-privada, quando é elaborada idoneamente, não vejo problema. Infelizmente não é isso que acontece. A gente tem aqui o exemplo do Daae, só falta desligar o botão para acabar com o Daae”

Ari Rios, presidente do PC do B, sobre a privatização da área de esgoto no Departamento Autônomo de Água e Esgoto – Daae em Rio Claro, no Programa A Semana em 60 Minutos da Rádio Jovem Pan News

Atropelo

Consultado sobre o novo posicionamento do MDB, o ex-prefeito Du Altimari diz que não é bem assim. Segundo Du, o que foi aprovado pela executiva é a governabilidade de Gustavo (com dois votos contrários, dele e de João Vieira), mas não há nada definido quanto à eleição. “Essa definição só vai acontecer na convenção em julho de 2024. A única decisão é de que o MDB terá candidato a prefeito ou a vice”.

E agora, Maria?

Durante a entrevista na Jovem Pan, o presidente do MDB, Bruno Oliveira, também falou sobre o dilema de Maria do Carmo Guilherme. Deve a ex-vereadora tentar retornar à Câmara ou fazer dupla como vice na tentativa de Gustavo à reeleição? Bruno valorizou o poder de voto de Maria nas eleições ao Executivo, mas, como comandante da sigla, também sabe da importância de ter esse nome na sua chapa de vereadores, até como segurança para garantir cadeiras.

Mais em Política:

PL oficializa Rogério e confirma Grillo a vice

Após polêmica em Ipeúna, Piracicaba anuncia barragem