Mãe: muitas vezes, a difícil tarefa ganha mais desafios

277

A tarefa e o trabalho de ser mãe nunca é uma tarefa simples. Milhares de mudanças e desafios aparecem na vida de uma mulher a partir do momento em que entram na fase da maternidade. Porém, algumas mães passam por situações que exigem ainda mais força.

Este é caso de mães que enfrentam verdadeiras lutas contra algumas doenças de seus filhos. Muitas vezes este desafio vem em forma de algum tipo de câncer.

Marilene, Josefa, Zulmira e Izabel são mulheres de Rio Claro que compartilham do mesmo tipo de experiência. As quatro têm filhas que enfrentam ou enfrentaram o câncer e todas elas tiveram que praticamente abandonar as próprias vidas para viver a vida de suas filhas.

“A vida mudou. Apesar das dificuldades todo o processo traz um grande aprendizado. Eu costumo falar que tudo isso me fez aprender a viver o hoje, porque durante o tratamento, quando a gente não sabe o que vai acontecer no outro dia, a gente aprende a aproveitar o momento. Então o que fica é que precisamos viver o hoje e não o amanhã”, comenta Marilene, mãe de Daniely, de apenas quatro anos e que foi diagnosticada com câncer com um ano e quatro meses.

Marilene e Daniely enfrentaram juntas o câncer da menina

Para Marilene, apesar de doloroso e muito difícil, o processo da doença de Daniely acabou aproximando as duas: “Hoje, mesmo ainda em fase final de tratamento, ela vira para mim e fala que tem certeza que eu sou a protetora dela. Sempre foi isso que quis passar para ela, essa sensação de proteção, e eu poder saber que ela sente isso é algo muito bom.

Outra mãe que passou por um processo parecido foi Josefa. Sua filha, Gabriele, foi diagnosticada com câncer aos 11 anos. Hoje, aos 22 anos, Gabriele está curada e, contrariando as expectativas médicas, pôde dar à Josefa uma nova alegria, um neto.

Após o câncer, Gabriele e Josefa dividiram a alegria do nascimento de Brian

“Tive que mudar completamente depois da doença. Mudei de cidade para praticamente morar no hospital com ela, parei de trabalhar. Parei minha vida para cuidar dela. Mas desse tempo pra cá ela trouxe muitas alegrias. Não foi fácil, mas conseguimos superar e ter muita felicidade, principalmente com o meu neto”, afirma a mãe de Gabriele e avó de Brian.

Zulmira e a filha Aline também enfrentaram juntas um câncer que afetou a menina quando ela tinha 7 anos.

“O câncer afeta todo mundo, toda a família, em especial a mãe. Quando ela ficou doente meu outro filho tinha cinco meses e foi difícil eu perceber que quem precisava mais de mim no momento era a Aline”, conta Zulmira.

Zulmira supero traumas para cuidar de Aline

Um fator que também gerou ainda mais dificuldades foi um trauma antigo que Zulmira enfrentava: “Eu tenho, até hoje, pavor de hospital. Foi difícil, mas no momento eu precisava estar ali, apesar de não poder fazer muito para ajuda, eu sabia que tinha que estar ali com ela e foi o que eu fiz”.

Um outro exemplo da força da relação entre mãe e filha na cura de doenças como o câncer é o caso de Izabel e Mayara. Izabel, a mãe, foi pega de surpresa e precisou achar forças para ajudar a filha.

A relação de Mayara e Izabel foi fortalecida durante o tratamento do câncer

“Ninguém espera que isso vá acontecer. A gente tem que praticamente parar uma vida que existe para viver uma vida que a gente não estava esperando. Precisamos deixar tudo para trás e olhar somente para o que acontecia com ela. A partir disso é algo completamente novo e olhando hoje, depois de tudo o que passou, a gente pode ver que isso faz a gente mudar, faz a gente crescer, viver coisas que a gente nunca imaginaria faz a gente ver as coisas com outros olhos”, relata Izabel.

Certamente, assim como em outros casos de crianças com alguma doença, a força de mães como Marilene, Josefa, Zulmira e Izabel, fazem com que o processo se torne muito menos difícil e doloroso para seus filhos. Afinal, é muito mais leve dividir a dor em dois, principalmente quando se trata de mãe e filho.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: