Macarrão: aprecie com moderação

118

Sidney Navas

Ele é saboroso e apreciado no mundo todo. Por outro lado exagero no consumo pode engordar
Ele é saboroso e apreciado no mundo todo. Por outro lado exagero no consumo pode engordar

Existem várias histórias a respeito da origem do macarrão. Uma das mais populares diz que o navegador italiano Marco Polo, trouxe o produto da China mudando os hábitos italianos. Hoje é um alimento consumido mundialmente em larga escala e aqui não é diferente, estando presente em praticamente todos os lares brasileiros.

Atualmente, o mercado oferece as mais variadas formas e opções como o macarrão de Sêmola (feito com farinha de trigo especial, o que o torna mais claro), o Grano Duro (chamado dessa forma porque é preparado a partir de um trigo especial chamado trigo ‘durum’ ficando naturalmente soltinho, porém consistente), o Integral (que contém mais fibra em sua composição, portanto, ideal para que necessita de dietas especiais e acompanhamento de nutricionistas), entre tantos outros, isso sem contar com o Instantâneo (rápido de se fazer, mas sem qualquer ou pouquíssimo valor nutricional). Já o chamado macarrão comum ou tradicional (elaborado apenas com farinha de trigo e água) é o mais popular e consumido no nosso dia a dia.

Resta saber: quais são seus benefícios e malefícios para a saúde humana? “Depende muito da quantidade, do tipo de produto escolhido se ele é integral ou não, se tem ou não glúten e de quanto molho é colocado no prato.

Tudo isso deve ser levado em consideração. É bom lembrar que o macarrão comum, por exemplo, se trata de um carboidrato com alto índice glicêmico, o que eleva o nível de açúcar no sangue o que não é bom para o organismo e, por isso, é preciso moderação em seu consumo. É um alimento sem fibras e funcionalidade que não enriquece nossa dieta”, ressalta a nutricionista Cris Ribas Esperança. Ela ainda aconselha: “Sempre dê preferência aos molhos mais leves como aqueles à base de tomate com manjericão ou com abobrinha ou cogumelos”, observa.

Ainda segundo a especialista, os diabéticos e as pessoas fora do peso, devem evitar comê-lo com certa frequência. “Nestas circunstâncias o melhor é escolher outro tipo de alimentação”, acrescenta. Segundo a nutricionista, por outro lado, o macarrão, via de regra, pode ser usado na elaboração de dietas específicas (apenas os integrais) e serve também como uma excelente fonte de energia para jovens, atletas, crianças ou para aqueles que já mantêm uma dieta equilibrada.

“Com prudência, o consumo está liberado, desde que, não se cometa exageros na quantidade, principalmente na cobertura utilizada como complemento. Excessos neste sentido podem resultar no ganho de quilos a mais, ou seja, pode engordar sim”, completa. Comer macarrão todos os dias, com bastante molho e em grandes porções pode até causar diabetes, aumento de colesterol e triglicérides. “Por isso é preciso se atentar a ingestão diária e de forma descontrolada. Como tudo na vida, o que vale é sempre a prudência”, finaliza.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: