Projeto que libera ambulantes na região central em horário alternativo ao do comércio, será votado na Câmara de Rio Claro

E está pronta a receita do projeto que será analisado pela Câmara de Rio Claro nesta segunda-feira, permitindo que ambulantes ocupem o Centro

A proposta que libera o trabalho dos ambulantes na área central de Rio Claro, que entra em votação nesta segunda-feira (28) na Câmara Municipal, provoca uma série de debates e manifestações dos envolvidos desde que foi apresentada. É um tema polêmico e fonte de desavenças e até conflitos em muitas cidades. E aqui mesmo essa discussão já acontece há décadas, basta lembrar o episódio das barracas na passagem central do Jardim Público. No passado, a prefeitura chegou a construir a estrutura de quiosques na Rua 1, próximo à Estação Ferroviária, para “desocupar” a praça, mas os ambulantes se rebelaram, acionaram seus “padrinhos” no Legislativo e no Executivo local e nada mudou.

Desta vez, porém, o comentário nos bastidores é que o tema foi retomado devido a questões “sentimentais”, depois que vários vereadores e ex-ocupantes de cadeiras na Câmara teriam se chateado com o não convite por parte da Associação Comercial e Industrial de Rio Claro – Acirc ou com o tratamento dispensado às autoridades presentes na solenidade de inauguração de sua nova sede, cuja área foi viabilizada na antiga “quadra do Bandeirantes”, através de mobilização dos vereadores da época. Vale lembrar que Du Altimari, prefeito na época da liberação do terreno, foi convidado e teve participação na inauguração.

Um tema complexo e que interfere na arrecadação do município e na geração de empregos e de renda para muitas famílias, além de afetar também a dinâmica no Centro do município, que sofre com o abandono, precisa ser enfrentado. Cabe aos gestores públicos buscar estabelecer condições de igualdade, permitindo o acesso ao trabalho, sem favorecer a concorrência injusta. Mas um assunto tão sério, importante, precisa ser amadurecido, debatido junto aos interessados, e não ser movido por “picuinhas”.

“Nós estamos, depois de algumas décadas, lá no Nova Veneza fazendo o asfalto, algo inimaginável, coisa que muita gente não acreditava, que duvidava. Daqui a 60 dias, estaremos no Maria Cristina, fazendo o asfaltamento, e depois vamos para o Nova Rio Claro”

Anunciou o prefeito de Rio Claro Gustavo Perissinotto, em entrevista à Rádio Jovem Pan News, falando sobre o trabalho de pavimentação.

De casa nova

O ex-prefeito de Santa Gertrudes, Rogério Pascon (na foto abaixo), já tem sigla para entrar na disputa para voltar ao antigo cargo em 2024. Nesta segunda-feira (28), a presidente nacional do Podemos, deputada federal Renata Abreu, virá à região para a assinatura da filiação de Pascon, que até chegou a estudar a possibilidade de ser candidato a prefeito de Rio Claro, mas vai mesmo concorrer ao Executivo da vizinha cidade. A “costura” para a vinda de Pascon para o Podemos, inclusive para comandar o partido em Santa Gertrudes, foi realizada por Emílio Cerri (na foto, à esquerda), que preside o partido em Rio Claro e vem realizando a expansão regional. O pré-candidato a prefeito Pascon deve ter como vice Miguel Ribeirão (PSD).


Outra rota

Conforme anunciado por esta coluna no domingo passado, o comando do União Brasil em Rio Claro foi mesmo parar nas mãos do vereador Rodrigo Guedes, que traz na bagagem o irmão, Rogério, vice-prefeito de Rio Claro e pré-candidato a prefeito em 2024. O empenho agora é para segurar os democratas “de peso” na sigla, iniciando a formação de grupo para alicerçar uma disputa ao Executivo.

Pela ordem

Pelos lados da federação PT, PV e PC do B, a informação sobre a tentativa de aproximação entre os verdes e Juninho da Padaria (Patriota) causou a mesma reação de “não vai dar certo” que o próprio ex-prefeito já havia manifestado no domingo passado. E não só por diferenças ideológicas “irreconciliáveis”, como também pelo fato de já estar definido que o candidato a prefeito vai sair do Partido dos Trabalhadores.

Garimpo

No caso do PT, há consenso em torno do nome do cientista político João Guilherme, que já disputou a prefeitura de Rio Claro em 2020. Questionado sobre o tema durante participação no debate A Semana em 60 Minutos da Rádio Jovem Pan News nesse sábado (26), João destacou que, embora estejam numa federação, os partidos têm liberdade para dialogar e buscar novos integrantes. Confira o debate no canal do Jornal Cidade no YouTube.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Política:

PL oficializa Rogério e confirma Grillo a vice

Após polêmica em Ipeúna, Piracicaba anuncia barragem