Nessa segunda parte sobre o evento ‘Descarboniza 2022’ que aconteceu em novembro, aqui em Rio Claro, vamos mostrar mais dois carros impecáveis que atraíram olhares de muitos admiradores de clássicos: o Opala vermelho da década de 70 da empresária Mircia Piacentini e um Fusca prata estilizado do militar da reserva Sérgio Ferreira.

Eles vieram de Piracicaba, SP, e juntos fazem parte do grupo “Caipiras na Estrada” que percorrem toda a região expondo seus carros e fazendo novas amizades.

Ronaldo e Mircia Piacentini, no Opala vermelho, estiveram no evento ‘Descarboniza’. O casal faz parte do grupo de Piracicaba ‘Caipiras na Estrada’

Mircia conta que em 2005 ganhou o Opala do pai que também já teve vários carros antigos. “Esse Opala 73/74 eu ganhei ele com 18 anos, meu pai sempre foi aficionado por carros antigos e a gente sempre participou desse meio,” conta a empresária.

Mircia mantém o carro praticamente como ganhou, diz ter feito poucas reformas no Opala, confessa que a pintura não é a original por causa das ferrugens que apareceram com o passar dos anos, mas garante que manteve a mesma cor do documento do Opala, um vermelho maravilhoso.

Interior do Opala 73/74
calota original

A empresária diz que aprendeu com o pai a pegar gosto por carros antigos “eu peguei gosto por esse meio desde criança porque o meu pai sempre teve carro antigo, então a gente sempre acompanhou, sempre fomos aos encontros de carros antigos desde muito novinha.” Mircia conta que ficou muito tempo parada por causa da pandemia, mas agora voltaram a participar dos encontros “agora a gente tem saído mais, expondo mais e criamos o grupo para estarmos juntos, reunir os amigos, conversar…” fala a empresária. E termina falando os carros do seu pai “meu pai teve vários carros, ele teve desde um Ford 29 com motor V8 que ele mesmo fez, teve Impala, Opala, Fusca, C10 e Mercedes.”

Sérgio Ferreira tem um Fusca 1985 com motor 1600 cilindradas que carinhosamente foi apelidado de ‘Pulga’, diz que o carro é mais que um mero fusca já faz parte da família e explica o motivo do nome que deu ao carro “é um dos muitos apelidos que o carro tem pelo mundo, então nós denominamos ele de Pulga,” explica.

Curiosamente o militar da reserva ganhou o carro em uma rifa e diz ter investido uma ‘grana considerada’ no carro. Também conta que transformou o fusca inteiro, “deixei ele com a minha característica, não tem um parafuso desse carro que eu não apertei,” conta o militar com satisfação.

Sérgio tem muito carinho pelo carro e conta quais adaptações foram feitas para deixar o Pulga com características mais atraentes: “As adaptações que eu fiz nele de mecânica foi para deixar o mais original possível, apenas coloquei o acelerador Roller e um câmbio engate rápido da Runner. Na estética eu optei por uma roda Porsche e um teto da Ragtop da empresa Ragway” uma marca que, segundo ele, apresenta mais benefícios pra quem tem esse tipo de carro.

Sérgio e a esposa Renata Ferreira curtem cada encontro de carros antigos que vão pela região com o grupo Caipiras na Estrada.

Mais em Showcar: