Nesse final de semana, viralizou nas redes sociais fotos de vassouras paradas ‘misteriosamente’ em pé sozinhas. As imagens que circularam on-line intrigaram os internautas com tal ‘fenômeno’.

Usuários atrelaram tal feito a uma suposta declaração da agência espacial americana Nasa de que a Terra estaria num ponto orbital em perfeito equilíbrio, fazendo com que as vassouras se equilibrassem sozinhas.

Rapidamente, o chamado ‘Desafio da Vassoura’ ganhou vários adeptos. Quem fez o teste em casa confirmou que realmente funciona. Dagoberto Henrique, por exemplo, tentou equilibrar a vassoura em alguns cômodos do seu imóvel. O objeto ficou em pé sozinho num ponto da sala de jantar, ao lado do seu cão, o Bartolomeu.

Publicidade

“Depois de algumas tentativas, consegui equilibrar a vassoura num ponto da casa. Não funcionou em outros, mas na sala de jantar ela ficou em pé”, conta Dagoberto.

No entanto, nada disso tem a ver com a suposta declaração da Nasa, o que de fato não foi feito. Quem explica melhor é o físico Fabrizzio Anunciato Montezzo. “É apenas uma questão de equilíbrio mesmo, não tendo nenhuma relação física com a órbita ou rotação da Terra”, explica Montezzo que, inclusive, fez o teste em casa e a vassoura, também, ficou em pé.

Basicamente, esse equilíbrio deve-se à base da vassoura: quanto mais larga e pesada, mais fácil de ficar em pé. Apesar da repercussão, Montezzo é taxativo com relação a esse episódio. “Hoje em dia, temos que combater a pseudociência.
Está se tornando algo desagradável. Nesse desafio, não há nenhuma relação mesmo com a rotação da Terra”, reforça.

Abaixo, confira o artigo de Huemerson Maceti, professor de Física e coordenador Pedagógico do Colégio Puríssimo e do Curso Puríssimo – POLIEDRO, esclarecendo o ‘Desafio da Vassoura’ ao Jornal Cidade.

“Consta na mídia que, de acordo com um anúncio feito pela Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), ‘a rotação da Terra estaria em perfeito equilíbrio a ponto de todas as vassouras do mundo conseguissem se equilibrar sozinhas’, o que causou um grande número de postagens de equilíbrios de vassouras por aí.

Pois bem, apesar de muito divertida, essa notícia é falsa. Não há nenhum fundamento que ligue alinhamentos de planetas com equilíbrio de corpos na superfície da Terra. É como dizer que o alinhamento dos planetas propicia que uma pessoa tenha sorte no amor. Trata-se portanto de crendices, não de ciência. A Terra continua com sua rotação ao redor dela mesma e ao redor do Sol e a Força Gravitacional continua em ação. O que define se a vassoura fica ou não em pé é uma questão de Física Básica, nesse caso, de nossa querida Estática.

A Estática é o ramo da Física que se preocupa em investigar as condições sob as quais um corpo fica em equilíbrio e é a base para se projetar casas, prédios, pontes e até mesmo para andarmos eretos e criarmos esculturas.

Nosso objeto de estudo, no caso a vassoura, está relacionado ao equilíbrio do corpo extenso, que para ser atingido deve estar sujeito a duas condições simultâneas. A primeira condição é que a resultante dos sistemas de forças deve ser nula, para que o mesmo não se desloque. A segunda condição é que a soma algébrica dos momentos das forças do sistema, em relação a um polo arbitrário deve ser nula, para que ele não gire. O momento é o produto da força aplicada até o ponto de giro e também é conhecido como ‘torque’.

Resumindo, o corpo permanece em equilíbrio se a força resultante é aplicada sobre base do corpo, que está apoiada no chão. Assim sendo, você consegue colocar uma vassoura em pé, se você pegar as cerdas e arrumá-las com um pouco de paciência, de tal maneira que ela forme uma base um pouco mais larga. Quanto mais pesada a base, melhor.

Figura  1– Base larga da vassoura e baixo centro de gravidade contribuem para o equilíbrio

Podemos comparar a situação de estabilidade de um carro de fórmula 1 (baixo e largo) com uma perua alta e estreita. Quanto mais alto o centro de gravidade e mais estreita a base, maiores são as chances de capotamento (girar).

Figura  2– Condição de equilíbrio – A força resultante deve ser dirigida sobre a base de apoio

É como um praticante de Aikido, judô ou Jiu-jitsu que movimenta seu corpo tentando buscar a melhor e maior base possível para que não seja derrubado, enquanto tenta desequilibrar seu adversário.


Figura 3– Koshi Nage  (técnica de Aikido) – O oponente é levado ao desequilíbrio através da aplicação de Forças que geram  Momentos

A forma geométrica permite que algumas vassouras sejam equilibradas facilmente, outras nem tanto e outras, ainda, não consigam se equilibrar. Ao tentar equilibrar uma vassoura em casa, atente-se para esses fatores. No mínimo, será divertido! Não há mágica, apenas Física – e esta pode ser muito mais fascinante do que a magia”.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro tem 1.155 casos de dengue