Na manhã desta segunda-feira (14), um grupo de eventuais protesta em frente ao Paço Municipal contra as 400 demissões promovidas pela Prefeitura de Rio Claro, em sua maioria na área da Educação. Na última quarta-feira (9), outra mobilização já havia sido realizada no local.

“Se o contrato tá ‘ilegal’, resolvam! Demitir em plena pandemia é imoral”, “Sou efetiva e exijo respeito com as eventuais. Te vira, prefeito!” e “Quanto vale a vida de uma eventual?” foram alguns dizeres nos cartazes de protesto. Com gritos de mobilização, o grupo chamava pelo prefeito e pedia o apoio de populares que passavam pela Rua 3.

Após o ex-prefeito Juninho da Padaria (DEM) ter recontratado dezenas de ex-comissionados como eventuais no ano passado, o Ministério Público se atentou ao fato e agiu. Com a instauração de inquérito civil por parte da Promotoria de Justiça, em abril passado – já na atual gestão – foi publicada uma recomendação administrativa determinando que funcionários eventuais fossem dispensados e que só poderiam ocorrer novas contratações em casos excepcionais previstos na Constituição Federal.

Um projeto de lei para contratar ‘temporários’ iniciou tramitação na Câmara Municipal para tentar legalizar situação de eventuais na Prefeitura

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Veículo capota e deixa duas vítimas leves em Rio Claro

Cresce o número de brasileiros interessados em deixar o país

Vídeo mostra poeira em estrada rural da região