Chuva derruba árvores e alaga avenidas de Rio Claro

167

Sidney Navas

TEMPORAL: o município foi atingido por uma forte chuva acompanhada de rajadas de vento, que provocaram a queda de várias árvores e de parte da fachada de um varejão no Centro
TEMPORAL: o município foi atingido por uma forte chuva acompanhada de rajadas de vento, que provocaram a queda de várias árvores e de parte da fachada de um varejão no Centro

O temporal acompanhado de rajadas de vento que chegaram a mais de 75 quilômetros por hora provocou diversos pontos de alagamento em ruas e avenidas, além de derrubar algumas árvores e galhos, comprometendo também o fornecimento de energia elétrica em muitas localidades na tarde dessa sexta-feira (4).

A assessoria de imprensa da concessionária Elektro esclarece que os bairros que tiveram o fornecimento de energia prejudicado por causa da chuva forte foram parte do Centro, o Cidade Jardim e o Jardim Novo I e imediações. Equipes extras foram acionadas para concluir o restabelecimento no menor tempo possível. A Elektro frisa que segue à disposição de seus clientes pelo 0800-701-0102.

No Jardim Público até mesmo uma luminária não suportou a força da ventania. Na esquina da Rua 5 com a Avenida 19, no Copacabana, uma enorme árvore também não resistiu, atingindo em cheio a fiação elétrica. As funcionárias de uma escola levaram um grande susto. Ione Pinto conta que ouviu um forte estrondo e logo depois percebeu o que tinha acontecido. “Foi tudo rápido demais e ventava bastante quando a árvore acabou caindo”, completa a mulher. A vizinhança afirma que essa árvore teria mais de cinquenta anos.

Na Avenida Brasil, outro espécime também não suportou a velocidade dos ventos. O mesmo se deu na Visconde do Rio Claro entre as ruas 11 e 12, e na Avenida Presidente Kennedy. Homens da prefeitura trabalharam duro para remover as árvores e os galhos para liberar o trânsito. Na Avenida Francisco Matarazzo, em frente ao Shopping Center RC, um enorme galho também acabou caindo. Na Rua 1 com a Avenida 5, no Centro, a fachada de um varejão foi derrubada, danificando ao menos cinco veículos. Ainda na região central, dessa vez na Rua 4 com a Avenida 8, a chuva alagou a via, arrastando motos que estavam estacionadas.

Placas também foram destruídas em vários pontos. Na rotatória das Avenidas Presidente Kennedy com Av. 29, o volume de água foi grande, trazendo transtornos aos motoristas que tiveram que desviar dos pontos de alagamento e trafegando pela contramão. Viaturas da PM e da Guarda Civil foram deslocadas para vários cruzamentos, a fim de orientar os condutores. Sérgio Guilherme, titular da Secretaria de Paisagismo, disse que na medida do possível foram concentrados esforços para minimizar os transtornos.

De acordo com a Defesa Civil, choveu no município durante a tarde de ontem o equivalente a 30 milímetros em aproximadamente 40 minutos, o que ajudou a potencializar os problemas ocasionados pelo ‘aguaceiro’. Se todo esse ‘pé d’água’ causou muita ‘dor de cabeça’ nos bairros pavimentados, imagine então onde falta o asfalto, como, por exemplo, em alguns trechos do Nova Rio Claro. Lá a preocupação maior é com a Rua 21, que fica bem próxima ao Rio Corumbataí, que transbordou em vários pontos.

Os moradores esperam até hoje pela benfeitoria e, por inúmeras vezes, teve gente que perdeu aparelhos eletroeletrônicos, roupas e móveis. Com as últimas chuvas, ao menos seis famílias que moram na região da Estrada do Sobrado, na zona rural, ficaram ilhadas e elas temem por mais estragos, já que, de acordo com a previsão do tempo, a instabilidade climática deverá persistir neste final de semana. Apesar dos danos, ninguém teria ficado ferido.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: