A Câmara Municipal aprovou nessa segunda-feira (18) uma moção de repúdio ao governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB). A propositura é de autoria do vereador Seron do Proerd, que integra o Democratas, partido do vice-governador Rodrigo Garcia e do prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria. O parlamentar justifica a moção por conta da prorrogação da quarentena [que tem como objetivo reduzir os índices de contágio do novo coronavírus] nas 645 cidades paulistas, por parte do governador, até 31 de maio sem que haja qualquer tipo de flexibilização.

“(…) o ‘Ditadoria’ (…) nós sabemos da importância técnica da parte de saúde com relação ao coronavírus, mas a maneira que ele vem tratando isso, pisando em cadáveres, onde o momento era favorável à flexibilização para a economia do nosso país. [Doria] é uma pessoa que está quebrando a locomotiva do Brasil. Quebrando o Estado de São Paulo por uma narrativa própria e briga política. Medir forças com o presidente da República. É uma vergonha”, declarou Seron acrescentando acusações de que Doria estaria vendendo empresas a ‘preço de banana’ mas sem apresentar detalhes.

Da oposição, Anderson Christofoletti (MDB) encaminhou voto favorável à moção. “Realmente é isso que temos visto, infelizmente, no governador. Poderia estar estudando medidas de flexibilização principalmente nos municípios em que há controle da doença, onde consegue uma gestão com segurança para que o serviço continue sendo feito. O objetivo é uma briga política e interesses pessoais”, afirmou.

Até mesmo a vereadora Carol Gomes, que era líder da bancada do PSDB no Poder Legislativo e hoje está no partido Cidadania, apoiou a moção de repúdio. “A questão tanto do Bolsonaro quanto do Doria, de uma maneira geral, virou mais política e se aproveitando do momento do que ajudar a população. Não cuspo no prato que comi, o governador me ajudou muito, mas também não fecho meus olhos para questões erradas. O momento é de união, tanto Doria quanto Bolsonaro não estão pensando nisso, estão pensando em 2022”, concluiu.

PSDB

Vereador do PSDB, mesmo partido de João Doria, Paulo Guedes votou contra a moção. “Esse é um assunto que só o tempo dirá se o lado A ou B da política está correto”, afirmou. Paulo foi o único parlamentar a votar contrariamente.

Mais em Política:

Servidores aprovam índice de 8% para o reajuste

Cordeiro faz repasse de verbas para entidades