A Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade (Feena) voltou a ficar em chamas após uma ação que as autoridades acreditam ser criminosa pela forma como aconteceu.

No domingo (6) vários focos de incêndio começaram simultaneamente: “Parecia algo orquestrado da maneira como aconteceu. Acreditamos em crime sim. Muito se falou que teria começado com a queda de um balão. Realmente nós encontramos um balão porém antes disso já estávamos controlando as chamas. O caso do balão só veio a agravar ainda mais a situação”, afirma Rodrigo Campanha, gestor da Feena.

No primeiro dia, com focos simultâneos, os trabalhos para conter o fogo e que duraram aproximadamente 12 horas foram realizados pelo Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Brigada de incêndio da Feena e Usinas Iracema e São João.

Já na segunda (7) e nesta terça-feira (8), o trabalho de rescaldo e também de contenção de focos menores foi realizado apenas pela Brigada da Feena: “A biodiversidade sofre, a população sofre com essa grande quantidade de emissão de gases e fuligem. A gente já vive uma crise climática global e isso só soma para o aquecimento do planeta. A gente pede conscientização e ajuda da população principalmente para desestimular essas práticas próximo ao Horto e também em qualquer outro lugar”, diz o gestor.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

POLÍCIA: 21 metros de fios e cabos são furtados em Rio Claro

Autônomo sofre acidente ao cair em boca de lobo em Rio Claro