Há dois anos, a funcionária pública Cassiane Rafaele Menezes de Almeida, 32 anos, viu a vida mudar completamente: “Eu tinha uma saúde ótima, até que passei a ter dores de cabeça muito fortes. Procurei um médico e começamos a tratar como enxaqueca, porém o quadro se agravou. Perdi a visão periférica e fui internada. No hospital comecei a ter convulsões, fui parar na UTI e cheguei a ficar quatro meses sem andar”.

Depois de muitos exames, dúvidas e angústia, o diagnóstico conseguiu ser fechado há apenas dois meses: epilepsia grave. Neste período foram várias internações e inúmeros medicamentos, porém apenas um fez com que as crises de Cassiane fossem controladas: o Canabidiol. Acontece que a descoberta veio junto com um outro problema: a dificuldade financeira.

“Uma caixa do Canabidiol com 30 ml custa R$ 2.500,00. Eu preciso de duas por mês e não temos de onde tirar esse dinheiro. Tenho uma filha de quatro anos e estou grávida de sete semanas. Eu temo pela minha vida e a do bebê. Tenho duas ações movidas contra o Estado, eu ganhei as duas e nem assim me forneceram o medicamento. O juiz determinou que me entregassem o Canabidiol em 48 horas, já se passaram meses e nada. Por isso o meu desespero e o meu pedido de ajuda”, diz Cassiane. Colabore: Banco do Brasil (agência 5553-0, conta corrente 5906-4, Cassiane M Almeida) Telefone: 97153-3944.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: