O ano de 2022 entra na reta final e, faltando menos de dois meses para o Natal, uma ação solidária começa a ser realizada, só que para chegar ao objetivo precisa da ajuda da comunidade. Os trabalhos começaram em 2005 através de Geise Valente, que foi a idealizadora e fundadora da ‘Campanha de Natal da Família’: “Na época, eu me via impossibilitada de ajudar as crianças que eu queria, então eu busquei apoio com a família e amigos para transformar o Natal de 30 menores. Foi tão satisfatório que, em 2006, fizemos novamente, só que desta vez beneficiando 150 crianças”.

A partir daí, Geise e a corrente solidária não pararam mais e o número de atendidos nesta época do ano só foi aumentando, até chegar a 1.200 hoje: “Nosso trabalho é disponibilizarmos as sacolinhas com os dados de cada criança. Então o ‘padrinho’ ou ‘madrinha’ que for adotar já terá em mãos todas as informações para comprar o que é solicitado. É tudo padronizado, então é importante que quem assumir o compromisso que tenha consciência da responsabilidade, pois não entregamos sacolinhas que vierem pela metade. Se vier faltando item, a gente precisa repor do bolso para que todos tenham a mesma surpresa e felicidade. Não é justo uma ganhar só uma blusa, por exemplo, e outra criança o kit completo com conjunto de roupa, sapato e brinquedo. Somos justos”.

A seleção de quem será beneficiado ocorre ao longo do ano, porém algumas parcerias já estão estabelecidas há muitos anos, explica Geise: “Essas crianças que vão receber as sacolinhas são cadastradas. Durante o ano têm algumas famílias que a gente auxilia também com cestas mensais. Fim de ano reunimos os projetos, como por exemplo o Marmita com Terço, o Conerc, Luz do Mundo e alguns Centros de Convivência, como o do Jardim das Flores, e a entidade Santa Maria Goretti. Todos repassam pra gente o cadastro das crianças de 0 a 13 anos em vulnerabilidade social e a partir de então montamos as fichas e anexamos nas sacolas”.

A idealizadora ainda ressalta que, apesar do trabalho intenso, o sentimento de dever cumprido sempre se sobressai: “Ver a alegria no rosto das crianças ao receberem a sacolinha não tem preço. A grande maioria só vai receber isso no Natal, pois a família não tem condições de dar uma roupa ou um brinquedo. É o caso da Cooperativa de Reciclagem, que está inclusa na nossa campanha. Somente lá são 204 crianças cuidadas por mães ou avós e que, apesar de fazerem um trabalho digno e honroso com a reciclagem, infelizmente não têm condições de proporcionar um kit desse para os filhos ou netos”.

Todas as 1.200 sacolinhas foram confeccionadas a partir de um patrocínio da Tigre. que há mais de uma década também ajuda colaborando com uma festinha para mais de 350 crianças beneficiadas na campanha

O QUE PRECISA TER NA SACOLINHA?

  • 1 blusa / camiseta
  • 1 calça / bermuda
  • 1 calçado
  • 1 brinquedo de acordo
    com a faixa etária da criança
  • 1 kit higiene contendo sabonete,
    esponja de banho, shampoo, condicionador, pasta de dente e escova de dente
  • caso queira, podem ser acrescentados guloseimas e outros acessórios
  • IMPORTANTE
    TODOS OS ITENS NECESSARIAMENTE PRECISAM SER NOVOS;
    FICAR ATENTO À DESCRIÇÃO COM OS DADOS DA CRIANÇA BENEFICIADA, COMO IDADE, NÚMERO DE ROUPA E CALÇADO;
    PRAZO PARA DEVOLUÇÃO DA SACOLINHA ‘RECHEADA’ É DIA 10/12

PARA ADOTAR UMA SACOLINHA ENTRE EM CONTATO (19) 99794-2797

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Aos 26 anos, jovem sai de RC e promove eventos no Canadá

Pontos de alagamento são registrados após chuva em Rio Claro