Usando jalecos e nariz de palhaço, trabalhadores da enfermagem de Rio Claro se reuniram na manhã deste sábado (24), no Jardim Público, para uma manifestação. O objetivo foi repudiar o Supremo Tribunal Federal por ter suspendido a lei do piso salarial da enfermagem.

“Estamos fazendo essa manifestação para mostrar a nossa indignação com esse ato do STF. Há mais de 20 anos os Sindicatos da Saúde, a Federação da Saúde vem nessa luta pela valorização dos trabalhadores da área e agora nós conseguimos essa valorização através do piso nacional da enfermagem só que o Supremo acatou um pedido da classe patronal e suspendeu essa lei nos prejudicando porque todos estavam na espera de já receber esse piso nacional”, afirmou Maria Hermann que é presidente do Sindicato dos Empregados da Saúde.

Na oportunidade ela também destacou a árdua e difícil batalha destes profissionais durante o início e auge da pandemia: “A pandemia veio para mostrar para o povo brasileiro a importância que a enfermagem. Então a nossa luta é exatamente essa. Até ontem nós éramos os heróis e hoje nós somos tratamos como os vilões que querem quebrar os hospitais. Lamentável essa desvalorização”, finalizou a presidente.

Entenda

A lei que criou o piso salarial de enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e parteiras foi aprovado em 4 de maio pela Câmara dos Deputados, após passar pelo Senado. O valor estabelecido foi de R$ 4.750 para enfermeiros do setor público ou privado. Para técnicos, o valor corresponde a 70% do piso, enquanto auxiliares e parteiras tem direito a 50%, conforme o texto. 

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Alerta: homem morre vítima de Covid em Rio Claro

10º Baep realiza treinamento de ‘atirador designado’

Refis: emenda ‘bloqueia’ empresas por três anos